Foto: Arquivo

Caíco foi expulso ainda no 1.º tempo da partida em Ji-Paraná.

Muita chuva, gramado encharcado, falta de luz no estádio e atraso de meia hora para o início da partida. Diante de todas essas adversidades, o Coritiba conseguiu um bom resultado, na noite de ontem, ao empatar em 2 a 2 contra o Ulbra, em Ji-Paraná, Rondônia. Com esse resultado, o Alviverde tem grandes chances de obter uma vaga à 3.ª fase da Copa do Brasil, pois tem a vantagem de jogar pela igualdade (0 a 0 ou 1 a 1) no próximo confronto entre as duas equipes, marcado para 4 de abril, no Couto Pereira.

A chuva foi determinante para que ambas equipes não conseguissem desenvolver um bom futebol. O campo com muitas poças de água impossibilitava jogadas mais técnicas e a condução da bola. Desta maneira, faltas e escanteios se transformaram na principal arma de ataque do Ulbra e do Coritiba.

A primeira chance do time de Rondônia aconteceu logo aos 6 minutos, numa falta cobrada pelo volante Vanderson à esquerda do gol defendido por Artur. O Alviverde respondeu quatro minutos mais tarde, mas sem perigo. O equilíbrio nas ações ofensivas permaneceu até os 30 minutos, quando saiu o gol do Ulbra. O zagueiro Dudu aproveitou o cruzamento e cabeceou sem chances para Artur.

O gramado escorregadio e a força de vontade dos jogadores proporcionaram um 1.º tempo muito disputado, com jogadas mais ríspidas.

Num desentendimento entre Caíco e Vagner Leo, aos 32, o árbitro Edilson da Mata expulsou o meio-campista coxa-branca. Com um jogador a menos, o Coritiba se fechou e esperou o encerramento do 1.º tempo para que o técnico Guilherme Macuglia pusesse ordem na casa.

Na etapa complementar, o atacante Edemílson entrou em campo e mudou o panorama do jogo. Antes, porém, o Coritiba empatou a partida aos 10 minutos. Anderson Lima cobrou falta e o zagueiro Leandro aproveitou o rebote da zaga e marcou. Animado com o gol, o Coritiba pressionou o adversário e, aos 27 minutos, em outra falta, virou o placar. Edemílson aproveitou uma nova cobrança de falta do lateral direito e, de cabeça, deixou a sua marca.

O Ulbra não se abateu e, logo na saída de bola, igualou o marcador. Numa jogada rápida e contando com a desatenção dos jogadores do Coritiba, Miro Bahia pôs número final ao placar em Ji-Paraná.

Copa do Brasil – 2ª fase – jogo de ida
Local:
Estádio Biancão, Ji-Paraná (RO)
Data: 21/03/07
Horário: 21h
Árbitro:
Edilson Ramos da Mata (MT).
Auxiliares: Lincoln Ribeiro Taques (MT) e Luiz Fernando Irineu Da Silva (MT)
Cartões Amarelos: Vagner Leo, Miro Bahia (Ulbra); Anderson Lima, Leandro e Douglas Silva (Coritiba)
Cartão Vermelho: Caíco (32 do 1º), Coritiba
Gols: Dudu (30 do 1º) e Miro Bahia (28 do 2º) Ulbra; Leandro (10 do 2º) e Edemilson (27 do 2º) Coritiba

Ulbra-RO 2×2 Coritiba

Ulbra-RO

Edervan; Saulo, Dudu, Vagner Leonardelli; Wanderson, Leandro Xavier (Leandro Rodrigues), César Baiano, Júnior; Teco, Miro Bahia (Souza)e Leandro Kievel (Cezar) Técnico: Armando Desessards

Coritiba
Artur, Ânderson Lima, Leandro, Henrique e Douglas Silva; Juninho, Caíco, Pedro Ken e Tulio (Douglas F.); Eanes (Edemilson) e Keirrison (Adriano) Técnico: Guilherme Macuglia

Macuglia destaca espírito de luta

Diante da má condição do gramado – que não proporcionava ao time criar jogadas – e da expulsão de Caíco, o empate obtido fora de casa foi considerado um bom resultado para o Coritiba. O técnico Guilherme Macuglia fez questão de ressaltar a atitude de seus jogadores em meio às adversidades encontradas. ?Cobro muito para sermos um grupo vencedor. O grupo está se unindo e a demonstração ocorreu hoje. Temos que reconhecer o espírito do grupo?, afirmou.

O técnico destacou as virtudes do adversário e as alterações feitas por ele no intervalo e decorrer da partida. ?Cobrei um posicionamento diferente dos jogadores e conseguimos empatar. Depois tentamos neutralizar a bola aérea deles (Ulbra)?, explicou.

O capitão coxa-branca, Anderson Lima, também elogiou a postura de sua equipe, destacando a disposição em campo. ?Jogamos a partida com o coração, com muita raça. Temos um grupo e quem ganha com isso é o Coritiba?, finalizou.

A batalha travada em Ji-Paraná deve trazer perdas ao elenco alviverde devido ao desgaste dos jogadores. De acordo com Macuglia, alguns atletas (sem citar nomes) reclamaram de dores musculares após a partida. No próximo domingo, o Coritiba joga fora de casa contra o Cascavel.

Coxa volta de Ji-Paraná e amanhã vai pra Cascavel

O desgaste causado pelo excesso de deslocamentos é um dos inimigos a serem enfrentados pelo Coritiba para almejar resultados positivos nas duas competições que disputa nesse semestre: Campeonato Paranaense e Copa do Brasil.

Na última segunda-feira, pela competição nacional, o Alviverde foi para Ji-Paraná, em Rondônia, numa viagem de aproximadamente 3.500 quilômetros. Após enfrentar o Ulbra-RO, ontem, (empate em 2 x 2, leia na pag. 21) o grupo paranaense descansa poucas horas e pega o vôo de volta do Norte do País às 4h45 de hoje. A previsão de chegada a Curitiba é para o início da tarde, caso não haja contratempos nos aeroportos. O vôo tem escala em Brasília.

Os 18 atletas – que viajaram até Rondônia – deverão realizar um treinamento leve ainda hoje e ganham dispensa, pois a maratona de jogos do Coxa não pára. Pelo Estadual, a equipe vai à Cascavel – oeste do Estado – para enfrentar a Cobra, às 16 horas de domingo. Para isso, o Alviverde enfrentará mais 514 quilômetros de estrada ou aproximadamente sete horas de viagem de ônibus. A saída da equipe está inicialmente marcada para a tarde de sexta-feira.

Em menos de uma semana a equipe do Alto da Glória percorre a cansativa distância de mais de oito mil quilômetros. A expectativa coxa-branca é que todo esse desgaste seja compensado com bons resultados.