Madri – A situação ficou feia para Vanderlei Luxemburgo. O Real Madrid empatou em casa com o Lyon por 1 a 1, ontem, e a torcida que foi ao Estádio Santiago Bernabéu deixou claro que não suporta mais o trabalho do técnico brasileiro. Ele foi muito vaiado toda vez que se levantou do banco de reservas a partir da metade do segundo tempo do jogo válido pela Liga dos Campeões da Europa e pode ser demitido.

O resultado da partida importava pouco, porque tanto o Real como o Lyon entraram em campo já classificados para as oitavas-de-final da Liga dos Campeões.

O que o público queria era ver o time jogar e limpar a péssima imagem deixada sábado, quando levou um baile do Barcelona e perdeu por 3 a 0 em seu estádio, pelo Espanhol.

Mas o Real novamente foi muito mal e mostrou ser um time desorganizado, que vive de lampejos de suas estrelas e que também não tem alma. Aos 41 minutos, o Real abriu o placar numa jogada de bola parada. Beckham cobrou falta para a área e a bola sobrou limpa para o meia Guti marcar.

O Lyon se acertou em campo no segundo tempo e aos 26, o norueguês Carew empatou com um golaço de calcanhar. E transformou a vida de Luxemburgo num inferno.

Robinho também foi perseguido pela torcida, que o vaiou a cada tentativa frustrada de driblar e a cada passe errado. O divórcio entre o público e o time é claro. E, pelo que se viu ontem, só a demissão de Luxa acalmará a torcida.

Do lado do Lyon, o empate em garantiu a primeira colocação do grupo F, com 13 pontos – o Real chegou a 10 e perde nos critérios de desempate. No outro jogo da chave, também nesta quarta-feira, os já eliminados Rosenborg (NOR) e Olympiakos (GRE) empataram por 1 a 1 – o brasileiro Rivaldo marcou para o time grego.

Pelo grupo G, o Chelsea garantiu ontem a sua vaga nas oitavas-de-final, ao derrotar o Anderlecht por 2 a 0. Com isso, o time inglês chegou aos 10 pontos, atrás apenas do atual campeão Liverpool, que está com 11 após empatar com o Bétis por 0 a 0.