Rio – Vasco e Botafogo empataram, por 2 a 2, no clássico carioca disputado ontem no Maracanã, e continuaram nas últimas posições do campeonato brasileiro. O resultado, ruim para ambos, manteve o Botafogo na zona de rebaixamento. Mesmo que vencesse, o time ficaria entre os quatro últimos, mas poderia se igualar ao Vitória, o 20.º colocado, com 33 pontos. Quanto ao Vasco resta o consolo de ter conseguido o empate após desvantagem de dois gols no placar. Se obtivesse a vitória, poderia se aproximar da faixa intermediária da tabela de classificação.

A equipe soma 36 pontos, somente cinco pontos distante da área de descenso.

O Vasco pressionou nos primeiros minutos. Logo na saída de bola, Petkovic criou ótima oportunidade, mas o goleiro Jefferson impediu o gol. Depois, Róbson Luiz chutou forte de fora da área e o número 1 do Botafogo novamente se destacou.

Parecia que o Vasco conseguiria logo abrir o marcador, tal o volume de jogo e a disposição com que entrou em campo. Num lance isolado, porém, surgiu o único gol da etapa inicial.

Schwenck cobrou falta e a bola desviou em Almir, enganando Tadic. Em seguida, Schwenck desperdiçou outra jogada, sem marcação, finalizando mal diante do goleiro.

Aos poucos, no entanto, o Vasco voltou a se firmar e obrigou Jefferson a praticar mais algumas defesas importantes. Uma delas em novo chute de Róbson Luiz. O jogo era movimentado, com toques rápidos, e agradava ao pequeno público no Maracanã. Ruim apenas era a atuação do árbitro Willian Neri, no aspecto disciplinar. Ele evitava punir os atletas com cartão amarelo, mesmo com faltas desleais. O técnico Geninho, do Vasco, até substituiu o meia Coutinho, que abusou do antijogo e só não foi expulso por causa da complacência de Neri.

O Botafogo voltou do intervalo com mais ímpeto. E fez o segundo gol com 35 segundos de jogo. Contou com a colaboração do meia Emerson, que bobeou, ao perder a bola. Elvis foi mais rápido e concluiu sem defesa para Tadic. Na arquibancada, alguns torcedores do Vasco resolveram imitar os do Botafogo, que antes da partida puseram as faixas de cabeça para baixo. Os dois clubes também se igualariam nos protestos.

O Vasco descontou a partir de uma conclusão sem muita pretensão de Muriqui. Jefferson, o nome do clássico no primeiro tempo, falhou ao soltar a bola, e Anderson aproveitou a chance.

O time de Geninho passou então a dominar o adversário e esteve por empatar duas vezes antes de Petkovic voltar a aparecer em campo e cobrar uma falta com precisão, nos pés de Henrique. O zagueiro controlou a bola, virou-se e chutou colocado. Jefferson não pôde fazer nada.

Com o empate, a torcida do Vasco voltou a estender as faixas corretamente. E provocou os bota-foguenses com um corinho: “Ão, ão, ão, segunda divisão!”

Ficha técnica:
Gols:

Almir aos 19 do 1.º; Elvis aos 35 segundos, Anderson aos 8 e Henrique aos 39 do 2.º tempo.
Vasco: Tadic; Pereira (Muriqui), Henrique e Fabiano; Thiago, Coutinho, Emerson (Rodrigo Souto), Petkovic e Chiquinho; Róbson Luiz e Anderson. Técnico: Geninho.
Botafogo: Jefferson; Márcio Gomes, João Carlos, Scheidt e Renatinho; Fernando, Túlio, Valdo (Carlos Alberto) e Elvis (Cassiano); Almir (Ricardinho) e Schwenck. Técnico: Paulo Bonamigo.
Renda: R$ 140.907,00. Público: 9.923 pagantes.