Foto: R.F. Araújo / Futura Press
Só no segundo tempo, o Icasa teve 14 escanteios a seu favor.

Na estréia na Copa do Brasil, o Coritiba entrou em campo ontem, em Juazeiro do Norte. Entrou em campo mas não jogou. Se viajou para o Ceará pensando em garantir a classificação com uma vitória por dois gols de diferença, o Coxa volta para Curitiba comemorando o empate em 0 a 0 contra o Icasa. O time da casa foi dono da partida e o Cori contou com a sorte e com o goleiro Arthur para não sair do Estádio Romeirão com uma derrota.

O primeiro tempo foi um verdadeiro sufoco para o Coxa. Sem nenhuma inspiração, Eanes e Jackson, que seriam os responsáveis pela criação das jogadas no meio-de-campo alviverde, se entregavam à marcação da equipe cearense. Assim, Ludemar e Jefferson praticamente não pegavam na bola.

Enquanto isso, o Icasa não encontrava dificuldades em passar pela defesa coxa-branca e só não abriu o placar graças a Arthur. O goleiro alviverde fez pelo menos três grandes defesas, garantindo o 0 a 0.

E para piorar ainda mais a situação do Coritiba, o volante Rodrigo Mancha, que já tinha cartão amarelo, barrou com violência um ataque cearense e foi expulso, aos 39?.

O péssimo futebol do Coxa irritou os próprios jogadores alviverdes, que deixaram o gramado nervosos ao final da primeira etapa. ?Assim, vamos tomar pressão do Piriri, do Icasa, de qualquer um. Não podemos tomar gol. Se tomar um só hoje está bom?, disparou o zagueiro Anderson.

O capitão alviverde tinha razão. Mesmo com Guaru no lugar de Eanes, o panorama do jogo não mudou. O time do Alto da Glória não conseguia ameaçar o gol de Valdo, que não fez uma defesa sequer. Já o Icasa era só pressão. Se tivesse um pouco mais de qualidade no ataque, e se o Coxa não tivesse Arthur no gol, os cearenses poderiam ter conquistado uma elástica vitória. Para se ter uma idéia da superioridade da equipe cearense, foram 14 escanteios a favor dos donos da casa apenas no segundo tempo.

A partida terminou de forma lamentável para o Coritiba, que abdicou totalmente do ataque. Tanto que, faltando pouco mais de dez minutos para o fim da partida, o técnico Márcio Araújo tirou Jefferson para a entrada do zagueiro Índio, com a clara intenção de segurar o empate.

Agora, o Coxa terá a partida de volta para tentar garantir vaga na próxima fase. O jogo será no dia 8 de março, no Couto Pereira, e o Cori precisa de uma vitória para se classificar. Um novo 0 a 0 leva a decisão para os pênaltis. Empate com gols ou uma derrota e o Coritiba estará fora.

Cheio de ?culpados? pelo 0 a 0

Não foi fácil achar explicação para o péssimo desempenho do Coxa diante do Icasa. Sem encontrar justificativa para o empate diante dos cearenses, os jogadores alviverdes culparam a expulsão de Rodrigo Mancha, a pressão pelos resultados, o gramado do Estádio Romeirão e acabaram por considerar um bom resultado o placar de 0 a 0.

?Jogar com um a menos é sempre difícil. Estamos de cabeça erguida. Foi um bom resultado e vamos levar a decisão para nossa casa?, avaliou Guaru. Já Anderson preferiu culpar a pressão sobre os jogadores. ?A pressão é muito grande. Então isso acaba pesando?, disse o capitão alviverde.

Único destaque do Coritiba, o goleiro Arthur encontrou outro responsável pela apatia coxa-branca. ?Jogar fora de casa na Copa do Brasil é assim. A grama é muito alta e eles vêm com tudo. O 0 a 0 foi bom?, acredita.

Já o lateral Wilton Goiano preferiu ser mais direto.

?A gente veio para vencer, mas a equipe não mereceu. É difícil explicar. Falta descobrir o que fazer para melhorar isso?, resumiu.

COPA DO BRASIL
1.ª fase – jogo de ida
Árbitro: Hércules Martins da Silva (AL). Assistentes: Ticiana de Lucena Falcão Martins (Fifa – AL) e Carlos Jorge Titara da Rocha (AL).
Cartões amarelos: Nelsinho (Icasa), Anderson, Rodrigo Mancha e Eanes (Coritiba).
Cartão vermelho: Rodrigo Mancha.
Local: Mauro Sampaio (Romeirão), em Juazeiro do Norte (CE)

ICASA 0 x 0 CORITIBA

Icasa
Valdo; Ivan (Galeano), Nelsinho, Alex Costa e Paulinho; Totonho, Marco Antônio, Tiago Santos (Márcio) e Alcimar; Marco Túlio (Robson) e Cristóvão. Técnico: Jorge Luís Távora.

Coritiba
Arthur; Wilton Goiano, Anderson, Henrique e Julinho; Rodrigo Mancha, Peruíbe, Jackson e Eanes (Guaru); Ludemar (Anderson Gomes) e Jefferson (Índio). Técnico: Márcio Araújo.

Amanhã, Caio chega, faz exames e assina

Cristian Toledo

Enfim a novela acabou. Segundo a diretoria do Coritiba, o meio-campista Caio está acertado com o clube, fará os exames médicos amanhã e na sexta-feira será apresentado como jogador alviverde. O principal destaque da equipe na temporada passada ficou quase três meses sem atuar, devido às pendências entre ele e seus procuradores, além do Ituano, que era o dono de seus direitos federativos.

A confirmação do retorno de Caio foi anunciada pelo diretor de futebol Almir Zanchi, em entrevista à rádio Banda B.

A volta do armador era esperada pela torcida e pela diretoria alviverde desde o final de 2005, quando o jogador deixou o Alto da Glória já dizendo que queria voltar. Mas a diretoria do Ituano não quis reemprestar Caio, gerando um impasse nas negociações.

Irritada, a direção coxa chegou a abandonar as conversas, pois o time do interior paulista era irredutível. Mas ainda em janeiro surgiu uma brecha -Caio poderia se desnvincular do Ituano por causa de problemas empregatícios.

A partir daí foram retomadas as negociações, mesmo com o assédio constante do Atlético-MG.

A cartada decisiva partiu do Coxa, que encaminhou uma proposta ?definitiva? no domingo. Caio aceitou, e o clube enfim pôde trazer de volta o principal jogador do time na campanha de 2005. Além dele, o Coritiba espera anunciar na próxima semana mais cinco jogadores – um lateral, um volante, outro meio-campista e dois atacantes.