A mesma marca que patrocina os árbitros no Campeonato Paranaense, estampa também a parte inferior das costas das camisas do Maringá Futebol Clube na competição. A exposição de uma empresa nos uniformes tanto da arbitragem quanto de um clube participante do torneio pode gerar margem para diferentes interpretações. A empresa de produtos alimentícios Zaeli fechou parceria com o time maringaense e a federação pela primeira vez este ano.

Nas regras do Campeonato Paranaense 2019, elaboradas pela Federação Paranaense de Futebol, não há qualquer menção sobre a restrição de patrocinadores ou que os árbitros não possam carregar a mesma marca do que os times, porém, conforme o Regulamento de Organização de Arbitragem da FIFA, entidade máxima do futebol, só é possível um mesmo patrocínio nesse caso desde que não haja interesses envolvidos. O item 3 do artigo 15 do regulamento diz:

“Anúncios de patrocinadores nas camisas de árbitros serão permitidos somente se não criarem conflitos de interesses com nenhum dos times participantes. Caso isso aconteça, o árbitro não deve utilizar nenhum anúncio na camisa”. Além disso, a FIFA permite a exposição de patrocinadores somente nas mangas das camisas dos juízes. O item 2 adverte:

+ Leia mais: Coritiba fecha com atacante experiente até o fim do Paranaense

“A publicidade é permitida apenas nas mangas da camisa e na área total da superfície da publicidade não deve exceder 200 cm. A frente da camisa é reservada para distintivos oficiais e o emblema da Associação Membro e permanecer livre de todos os tipos de publicidade. Publicidade na gola ou na parte de trás da camisa também é proibida”.

Arbitragem também tem o patrocínio da empresa Zaeli. Foto: André Rodrigues.
Arbitragem também tem o patrocínio da empresa Zaeli. Foto: André Rodrigues.

Porém, a marca aparece em tamanho grande nas costas dos uniformes dos árbitros. Em 2015, a Crefisa, patrocinadora master do Palmeiras, colocou seu logotipo também nos uniformes da arbitragem nas fases de mata-mata do Campeonato Paulista. Na época, o acordo gerou polêmica justamente porque o Palmeiras era um dos times que disputavam a fase final da competição.

+ Confira os jogos e a classificação do Campeonato Paranaense

A Zaeli, por meio de seu departamento de marketing, informou que não acredita haver conflito de interesse em relação aos patrocínios e caso houvesse qualquer problema quanto a isso, a própria FPF vetaria a ação. A empresa explicou ainda que também patrocina equipes de outros estados.

Desde a segunda-feira (21), a Tribuna do Paraná solicitou à Federação Paranaense de Futebol um posicionamento sobre o assunto, mas não obteve retorno.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!