O sócio do Clube Toque de Classe Cícero Alves Martins está disposto a colaborar com o fim das dívidas deixadas pela direção do Cascavel Clube Recreativo e Ápice Sports, em 2007. O empresário diz que a partir de hoje o advogado de sua empresa iniciará um trabalho de contato com quem tem dinheiro a receber do clube. ?Vamos procurar primeiro as pessoas que entraram com ações contra o Cascavel e depois as demais, para tentar negociar as dívidas?, afirma Martins.

O empresário diz que desconhece o valor exato da dívida. Segundo ele, com o levantamento que está sendo feito pelo seu advogado, é provável que amanhã já se tenha uma noção de quanto o Cascavel deve na praça. Estima-se que o valor chegue a R$ 430 mil, entre fornecedores e salários atrasados de jogadores e funcionários.

Outra medida que o Clube Toque de Classe pretende tomar é negociar as pendências trabalhistas o mais rápido possível, para evitar o confisco da renda dos jogos. ?Precisamos ver como está a situação, ver quais as ações que estão gerando o confisco e depois vamos tentar negociar um acordo?, conclui Martins.