Sete velocistas norte-americanas recuperaram nesta sexta-feira as medalhas dos Jogos Olímpicos de Sydney, conquistadas em provas de revezamento, que haviam sido retiradas por conta do doping de Marion Jones, integrante da equipe.

Depois de admitir o uso de substâncias proibidas na Olimpíada de 2000, a atleta norte-americana perdeu todas as suas medalhas na competição. A decisão valeu inclusive para as provas de revezamento, o que fez suas companheiras perderem o ouro no 4×400 metros e o bronze no 4×100 metros.

A Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês), no entanto, decidiu nesta sexta-feira que as atletas devem reconquistar as medalhas, alegando que as regras em 2000 não previam a punição para toda a equipe após o doping de uma atleta. As medalhas foram retiradas em 2007 pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Assim, Jearl Miles-Clark, Monique Hennagan, LaTasha Colander Clark e Andrea Anderson, do 4×400, e Chryste Gaines, Torri Edwards e Passion Richardson, do 4×100, ganharam as medalhas de volta. Apenas Nanceen Perry, que não recorreu da decisão do COI, ficou sem o bronze.