O programa de hoje apresenta-se com provas atraentes e equilibradas, figurando em plano de destaque o Clássico Alô Guimarães, segunda Prova da Tríplice Coroa, que ganha importância não só porque reúne bons animais da geração 2001, como também pela justa homenagem a uma das grandes figuras da história do turfe paranaense.

Alô Guimarães, quando senador, teve participação decisiva para aprovação da Lei do Turfe, merecendo destaque, ainda, seu desempenho como presidente do Jockey Club do Paraná e, com a fundação do Haras Paraná, na década de 1940, junto com outros grandes criadores, contribuiu para o início da modernização da criação do PSI no Paraná.

O Clássico Alô Ticoulat Guimarães, na distância de 1.900 metros, reunindo nove animais de três anos, promete movimentada decisão. Escriba mereceu a preferência de quase todos os cronistas, mas terá que correr muito para derrotar Que Fuego, Quiet Foxy, Alfarrábio e Nani-Lark, que figuram como perigosos adversários.

O programa conta com outras boas atrações, entre as quais as três reservadas para produtos de dois anos, com quinze estreantes, enquanto as provas complementares estão formadas por animais da geração 2001.

Um programa, portanto, que deve atrair bom público, esperando-se que o movimento de apostas ultrapasse aquele registrado na reunião anterior, que não correspondeu a expectativa. As corridas serão realizadas em simulcasting com a Gávea e apostas através das agências de São Paulo e Rio de Janeiro.

O primeiro páreo, como de costume, está marcado para as 16h30, devendo o páreo de encerramento ser corrido as 20h45.