Os incidentes ocorridos nos últimos jogos do campeonato brasileiro, que renderam punições severas de perda de mando e multas , chamaram a atenção da Comissão de Vistoria da Federação Paranaense de Futebol (FPF). Durante as visitas aos estádios do interior do Estado para liberação para os jogos do estadual 2005, o presidente da comissão, Cirus Itiberê da Cunha, garante que vai alertar os dirigentes para que orientem seus torcedores. “Qualquer objeto, por menor que seja, atirado no gramado, pode resultar em punição. Por isso, todo o cuidado é pouco”, diz.

Além de precaver os torcedores, a comissão também pretende evitar incidentes como os ocorridos no ano passado, após a partida entre Rio Branco e Coritiba, em Paranaguá. Sem um lugar reservado no estádio Nélson Medrado Dias, a diretoria e alguns torcedores do Coritiba acabaram sendo vítimas de hostilidades da torcida adversária. “Foi uma situação constrangedora, na qual corremos sérios riscos”, lembrou o presidente coxa-branca, Giovani Gionédis, durante o arbitral do campeonato paranaense de 2005.

Justamente, para evitar que o episódio se repita, Itiberê garante que a FPF exigirá locais específicos para a comitiva adversária em todos os estádios. “É uma exigência que terá de ser cumprida à risca. Há tempo para que todos façam as adequações necessárias.”

Somada a essas exigências diferenciadas, para a primeira fase do campeonato, os estádios terão que ter capacidade mínima para 5 mil lugares. Para a fase final, a capacidade mínima é de 20 mil torcedores.

Vistorias

Neste fim-de-semana, acontece a primeira etapa de vistorias. No roteiro de ontem, a comissão analisou os estádios Waldomiro Vágner (Paranavaí), Albino Turbay (Cianorte) e Roberto Brzezinski (Campo Mourão), além de visita ao estádio de Engenheiro Beltrão, o caçula da competição. No domingo, às 15h, a vistoria acontece em Apucarana, no estádio Bom Jesus da Lapa.

Além dos representantes da FPF, Cirus Itiberê e Nelson Lehunkhul, formam a comissão de vistoria representantes do Ministério Público, da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, da Vigilância Sanitária, do Crea e da crônica esportiva.