Divulgação
Pilotos prometem muitas emoções na capital federal.

Com uma velocidade média próxima aos 180 km/h e uma diferença de sete décimos entre o primeiro e último colocados no grid de largada, um pequeno erro na pista de Brasília pode levar um piloto do céu ao inferno numa fração de segundo. Com essa pressão – que beira a ?desumanidade? -, os 34 competidores da Copa Nextel Stock Car entram em ação para disputar a segunda etapa da temporada, no Autódromo Nelson Piquet, hoje e amanhã.

O anel externo do circuito brasiliense é um ?quadrado?, com uma reta em subida, uma em descida e duas planas, com quatro curvas fechadas à direita. Com esse panorama, é grande o desgaste do carro e também do piloto. ?Corridas em Brasília são sempre muito disputadas e equilibradas. A do ano passado, por exemplo, foi a mais emocionante da temporada?, lembra Norberto Gresse Filho (Agecom / Bardahl), piloto da Nova/RR (Peugeot), que conquistou o título da Stock Light 2007 (atual Copa Vicar).

O companheiro dele neste ano, na equipe comandada por Jorge de Freitas, é André Bragantini Júnior (Eurofarma / Hope RH / Vivo), que tem no currículo uma pole position em Brasília no Brasileiro de Stock Car de 2003.