A Rússia é soberana na marcha atlética, o Quênia consegue triunfos nas provas de longa distância e a Jamaica lidera as disputas de velocidade, mas os Estados Unidos conseguem manter o domínio do Mundial de Atletismo pela versatilidade e poderio do esporte no país. Assim, terminou a edição de 2011, realizada em Daegu, na Coreia do Sul, em primeiro lugar no quadro de medalhas.

Na competição, os Estados Unidos conquistaram 12 medalhas de ouro, 8 de prata e cinco de bronze. A Rússia, que receberá o Mundial de 2013, em Moscou, ficou em segundo lugar, com nove ouros, quatro pratas e seis bronzes. O Quênia faturou sete ouros, seis pratas e quatro bronzes, enquanto a Jamaica somou quatro ouros, quatro pratas e um bronze.

O Brasil, que conquistou um inédito título mundial com Fabiana Murer, terminou em 11º lugar no quadro de medalhas com um ouro, ao lado de Botsuana, Granada, Japão, Nova Zelândia e Polônia.

Neste domingo, a russa Mariya Savinova contou com uma ultrapassagem na reta final para conquistar a medalha de ouro da prova dos 800 metros, superando a sul-africana Caster Semenya, que era a atual campeã. A queniana Janeth Jepkosgei, ouro em 2007, faturou o bronze. A luta entre as duas primeiras colocadas foi acirrada, com a russa marcando o tempo de 1min55s87 contra 1min56s35 da sul-africana.

Medalhista de prata nos 10 mil metros, o britânico Mohamed Farah foi campeão mundial na disputa dos 5 mil metros em um disputa acirrada, com o tempo de 13min23s36. O norte-americano Bernard Lagat repetiu o segundo lugar do Mundial de 2009, com 13min23s64. Ele foi atrapalhado pelo etíope Imane Merga, que terminou em terceiro lugar, mas foi eliminado pelos organizadores. Assim, Dejen Gebremeskel, com 13min23s92, herdou a medalha de bronze.

O Quênia confirmou o seu domínio da disputa da maratona e concluiu a disputa da versão masculina da prova com uma dobradinha. Abel Kirui faturou o bicampeonato mundial ao vencer a prova em 2h07min38. A medalha de prata ficou com Eliud Kiptanui, com 2h10min06, e o etíope Feysa Lilesa, com 2h10min32, faturou o bronze.

O norte-americano Christian Taylor surpreendeu na disputa do salto triplo e faturou a medalha de ouro ao atingir 17,96 metros. Favorito, o britânico Phillips Idowu ficou em segundo lugar, com 17,77 metros. Will Claye, também dos Estados Unidos, completou o pódio, com 17,50 metros.

A russa Tatyana Lysenko faturou o título mundial no lançamento de martelo, com 77,13 metros. Recordista mundial, a alemã Betty Heidler ficou com a medalha de prata, 76,06 metros. A chinesa Zhang Wenxiu completou o pódio, com 75,03 metros.