O ex-presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade, pode mais uma vez ficar frente a frente com Mario Celso Petraglia, hoje presidente do Conselho Deliberativo do Atlético. Isto porque o ex-mandatário do Coxa pretende assumir o cargo de presidente da Fomento Paraná. O órgão do governo do estado foi o responsável por repassar os valores do empréstimo que o Furacão tomou para a construção da Baixada para a Copa do Mundo.

A indicação de Andrade depende ainda de uma homologação do Banco Central. Quando ocorrer, o ex-cartola ainda terá uma reunião com o governador Beto Richa para, então, ser alçado ao cargo e ter a nomeação publicada.

A Fomento Paraná cobra na Justiça a dívida que tem com o Atlético, de R$ 291 milhões repassados para a CAP S/A, sociedade criada pelo clube para gerenciar a reforma do estádio para a Copa 2014. Processo que está nas mãos do juiz para conclusão.

No período em que esteve à frente do Alviverde, que iniciou ainda em 2010, Vilson Ribeiro teve discordâncias com Petraglia, envolvendo acusações pessoais e até proibição do empréstimo do Couto Pereira ao Rubro-Negro. Agora, pode se ver envolvido no destino da Arena da Baixada.

O ex-dirigente também provocou polêmica ao afirmar que o Coritiba nunca seria “gigolô do dinheiro público”, em 2012, uma referência e ataque ao Atlético, parceiro do poder público na reconstrução do Joaquim Américo para a Copa do Mundo.

E mais tarde, em 2014, Andrade se lançou em campanha para permanecer na presidência do Coritiba com uma chapa chamada “Coritiba, nós construímos”, outra referência ao rival rubro-negro. Acabou sendo derrotado pela Coxa Maior de Rogério Bacellar.