O goleiro Fábio Costa vai dar trabalho ao Santos para renovar contrato e pode seguir o caminho do lateral Maurinho, que não se apresentou ontem e está praticamente fora do grupo. O primeiro problema: o clube ainda lhe deve seis meses de salário. Além disso, o seu contrato vence em 28 de janeiro e pelo que disse o jogador ele não pretende reformar nas mesmas bases do contrato em vigor: R$ 70 mil, o teto do clube. “Como campeão brasileiro, acho que mereço um reajuste. Se o clube tiver bom senso e quiser um acerto, minha preferência é pelo Santos. Se não, no dia 1.º de março estarei liberado para acertar com qualquer equipe”.

Fábio também admitiu que está com o salário atrasado mas não quis entrar em detalhes. “A pendência existe mas é um assunto que eu prefiro tratar só com a diretoria”. Nos bastidores, porém, o que se comenta é que a diretoria deixou o salário do goleiro atrasar porque não acreditava na sua recuperação quando Fábio Costa se contundiu gravemente na clavícula. O diretor de futebol Francisco Lopes disse que o Santos pretende antecipar a reforma de contrato do goleiro, mas até agora Fábio Costa não foi procurado.

De acordo com o jogador, seu empresário, Antônio Santos, já recebeu algumas propostas. “Daqui e de fora, mas eu prefiro me manter alheio a isso. Nem quis saber de onde são. Só vou pensar no caso a partir do momento em que eu sentir que a situação no Santos é irreversível” assegura o goleiro. Fábio, no entanto, garantiu que começa o ano jogando pelo Santos, mesmo se a renovação não for antecipada. “Tenho contrato até 28 de fevereiro. Se o Leão quiser me escalar, tenho de entrar em campo. Mas é como eu disse: no dia 1.º de março, se o Santos não reformar o meu contrato, vou estar livre para seguir o meu caminho”.

Um que já seguiu outro caminho é o lateral Maurinho. O jogador não se apresentou ontem e deve mesmo mudar de clube. “Aliás, já ouvi dizer que ele iria se apresentar a outro clube”, disse Leão. “E isso não é surpresa para a gente: ele queria o dobro do que o Santos ofereceu”.

Já em relação ao outro lateral, Léo, deve permanecer na Vila Belmiro. Leão, que tem muita afinidade com o jogador, seria capaz de apostar nisso. “Esse fica. Ele está machucado com a diretoria, quer ser valorizado, mas a gente bota um esparadrapo, um bandeide, e ele fica bom. É gente de boa índole, pode acreditar, vai ficar”. Já a situação do meia Robert é mais complicada. Ele ganha R$ 120 mil e tem que aceitar uma redução de R$ 50 mil para continuar no Santos. Até agora, porém, a diretoria não lhe fez uma proposta de redução salarial. Numa conversa com o meia, ontem, Leão disse que quer que ele continue. “Mas tem que resolver rapidamente. Se não, vou indicar outro para o lugar dele”, avisou o treinador santista.

Quanto aos reforços, Leão confirmou que pediu um atacante para o lugar de Alberto e agora um lateral para o lugar de Maurinho. No entanto, ele descartou Róbson, Evair e Nonato, os nomes que têm sido especulados nas últimas semanas. “Quem eu indiquei foi o Itamar, mas a Ponte deu a ele R$ 350 mil de luvas, uma Pajeiro zero, R$ 35 mil de salário e um prêmio para cada gol que ele fizer contra o Guarani. Será que o Santos daria a mesma coisa a ele?”, resignou-se o treinador.