No primeiro turno do Campeonato Carioca, após o clássico entre Vasco e Fluminense, jogadores, diretoria e técnico do tricolor, derrotado por 2 a 1, se uniram em coro para reclamar do árbitro Antônio Schneider. Do presidente da comissão de arbitragem da federação do Rio, Jorge Rabello, ouviram que o time não estava jogando nada, “rezando” por um erro de arbitragem para “ter o que falar”. A reação pós-derrota do Flamengo para o Boavista, na quarta-feira, por 2 a 1, no entanto, foi bem diferente.

Nesta quinta, Rabello anunciou que o juiz da partida, Felipe Gomes da Silva, será afastado e terá de passar por um curso de reciclagem. Ao contrário dos comentários pós-clássico, quando defendeu a atuação do árbitro, ele foi duro nas críticas nesta quinta. “A gente não passa mão na cabeça”, afirmou, em entrevista à Rádio Brasil. E disse que não vai permitir que os árbitros deixem de coibir a violência nos jogos. “Não vamos aturar esse tipo de coisa, seja qual for o árbitro”.

O lance mais violento foi no primeiro tempo. Aos 37, Tony, do Boavista, atingiu com a sola do pé o tornozelo direito de Willians, do Flamengo. O jovem volante foi substituído, chorava de dor, e sofreu uma entorse grave. O atacante do Boavista levou apenas cartão amarelo.

O gol da vitória do Boavista também foi polêmico. No segundo tempo, Paulo Rodrigues cobrou escanteio, Sheslon foi puxado pelo rubro-negro Galhardo e desviou a bola com a mão. Felipe espalmou para a rede.

Segundo Rabello, o juiz errou em “dois momentos”. “Existe um puxão claro (de Galhardo), depois esse toque (de mão, de Sheslon), que, no campo de jogo, é complicado de ver. Mas existiu, não tem como brigar com a imagem”, afirmou o presidente da comissão de arbitragem. Na súmula, o árbitro relatou ter ouvido ofensas do preparador físico do Flamengo, Ronaldo Torres. “Vocês são todos ladrões! Safados!”, teria dito.

O clube informou que vai pedir a exclusão de Felipe Gomes da Silva do quadro da Federação do Rio. O Flamengo também cobra uma punição a Tony. Nesta quinta, o atacante do Boavista pediu desculpas a Willians, pela imprensa, mas disse não ter sido desleal. “Podem querer me tirar dos jogos por conta da pressão, por ser Flamengo. Isso me preocupa”, declarou.