O suíço Roger Federer segue sobrando no US Open. Pentacampeão do Grand Slam nova-iorquino e atual vice, o número 2 do mundo conquistou mais uma vitória tranquila na noite desta quarta-feira. Ainda sem perder sets na competição, Federer venceu o sueco Robin Soderling por 3 a 0, com parciais de 6/4, 6/4 e 7/5, em 1h56 de jogo.

Além de se classificar para as semifinais no piso duro de Nova York, de quebra Federer também se vingou de Soderling. A única vitória do sueco no confronto direto havia sido neste ano, nas quartas de final de Roland Garros. Agora, o suíço já soma 13 triunfos sobre o rival, que tinha a condição de quinto favorito no US Open.

Segundo cabeça de chave, Federer teve habilidade até para driblar o vento forte na quadra principal do complexo de Flushing Meadows. No primeiro set, o ex-número 1 do mundo salvou quatro break-points e ainda conquistou a sua única quebra no sétimo game para abrir caminho para a vitória. Nas parciais seguintes, uma quebra a mais para o suíço foi suficiente para garantir o triunfo.

Depois de se adaptar ao vento, Federer encaixou bem o seu primeiro saque e ainda conquistou 18 aces, contra apenas dois de Soderling. Os números do jogo só foram equilibrados nos erros não forçados – 33 a 32 para o suíço.

Pelas semifinais, Federer vai decidir mais do que a vaga na grande decisão, que seria a sua sétima do US Open. O maior vencedor de torneios Grand Slam da história enfrentará o sérvio Novak Djokovic, atual número 3 do mundo. O jogo vale a vice-liderança do ranking mundial, que pode ser perdida por Federer.

A partida marcará o segundo duelo de Federer e Djokovic em pouco menos de um mês. Os tenistas se enfrentaram também pelas semifinais do Masters 1000 de Toronto, onde o suíço levou a melhor. No confronto direto, Federer soma dez vitórias, contra cinco de Djokovic. Além disso, o suíço nunca perdeu para o rival no US Open.