A escalação titular do Palmeiras se tornou fixa nos últimos jogos exceto por uma posição. A lateral direita é a única função com disputa em aberto. O técnico Luiz Felipe Scolari não pretende definir um dono do setor tão cedo e indica o revezamento entre Marcos Rocha e Mayke de acordo com a característica do jogo e do adversário a ser encarado.

“O Mayke é um jogador que em determinados momentos sobe um pouco menos ao ataque, mas tem posicionamento defensivo um pouco mais forte do que o Marcos (Rocha). Para determinadas situações, o Marcos vai ficar mais à vontade para jogar. Para outras, será o Mayke”, explicou Felipão na última quarta-feira, depois da vitória do time por 2 a 0 sobre o Botafogo, no estádio Allianz Parque, em São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro.

Na ocasião, o titular foi Mayke, com Marcos Rocha na reserva. Os dois haviam trocado de papéis no compromissos anterior diante do Vitória, em Salvador. A situação é diferente da vivida no começo do ano, quando o recém-contratado Marcos Rocha assumiu a posição. Não por acaso, atuou 38 vezes nesta temporada, ante 17 participações do concorrente.

Curiosamente, Felipão já havia trabalhado com Marcos Rocha no passado. Em 2013, quando dirigia a seleção brasileira, o treinador convocou o então lateral-direito do Atlético Mineiro para amistosos. A chance para Mayke surgiu recentemente quando o então titular teve uma sobrecarga muscular e precisou desfalcar o time.