Na apresentação da nova comissão técnica da seleção brasileira, o técnico Luiz Felipe Scolari, 64, e o coordenador técnico Carlos Alberto Parreira, 69, elogiaram um ao outro e agradeceram à confiança ao serem chamados para comandar a equipe nacional a partir de agora.

Parreira, campeão do mundo como técnico em 1994, e Scolari, comandante do penta em 2002, também concordaram ao afirmar que se sentem “jovens” e “rejuvenescidos” no retorno à seleção.

“Não penso que possa existir mais dificuldade agora [em 2012 do que em 2002], me sinto muito mais motivado, mais jovem, em condições. As dificuldades são parecidas, apenas a sequência do trabalho vai mostrar o caminho que vamos seguir para chegar ao mesmo título que conseguimos em 2002”, disse Scolari, em entrevista coletiva na manhã de hoje, no Rio. “Não me sinto pressionado no momento”, completou.

“É um recomeço. É continuação. Minha quinta Copa pelo Brasil, é um privilégio, me sinto como um garoto, rejuvenescido, interessado. Seleção brasileira faz bem, esse desafio é maravilhoso”, afirmou Parreira, ao lado de Scolari e do presidente da CBF, José Maria Marin.

“Quero reviver [com Scolari] uma dobradinha que deu certo em duas Copas do Mundo [1994 e 1998] com o Zagallo. Estamos aqui para auxiliar e dar todo apoio a ele [Scolari], ele é a figura principal. O objetivo é fazer do Brasil campeão do mundo, não passa pela cabeça não ganhar essa Copa em casa. Hoje não somos favoritos, mas em um ano e meio vamos ser os favoritos”, afirmou Parreira, que agora terá o cargo de coordenador da seleção, como Zagallo foi o dele nos Mundiais anteriores.