O Fenerbahce da Turquia vem buscar Márcio. O atacante do Paraná Clube é o mais cotado no momento para substituir Washington no futebol turco. A notícia não é confirmada pela diretoria tricolor, que prefere só comentar sobre propostas oficiais, mas Márcio foi procurado por um representante do Fenerbahce e espera uma definição sobre o seu futuro até o início da próxima semana. O empresário Juan Figger – que detém 50% dos direitos federativos do atleta – está no México e também não está descartada a transferência do jogador para este país.

Figger acompanha o presidente do Atlético, Mário Celso Petraglia, que negocia Kléber e Alex Mineiro com clubes mexicanos. “Não sei qual será meu destino, mas é certo que vou sair. É o momento de garantir um crescimento financeiro”, disse ontem Márcio à Tribuna. O artilheiro, independente da campanha irregular da equipe, conseguiu projeção no campeonato brasileiro. Foram 12 gols na competição, superando sua marca anterior (11 gols, em 2001). “Pelo momento do futebol brasileiro, creio que o melhor caminho ainda é o exterior. Há uma dose de sacrifício, mas que é recompensada pelos salários vantajosos”. Márcio alimenta o sonho de jogar na Europa.

Por isso, o futebol turco seria um ótimo ponto de partida. Márcio tem um perfil que se encaixa perfeitamente no estilo de jogo aplicado na Turquia, que se notabiliza por contar com atacantes de presença de área e com ótimo aproveitamento nas jogadas aéreas. “Não sei se a negociação vai evoluir, mas seria interessante. Creio que tudo se resolverá com o retorno do Figger”. Márcio substituiria um ex-artilheiro paranista. Washington, que transferiu-se para o Fenerbahce em junho, teve problemas cardíacos, passou por uma angioplastia e ficará um bom tempo afastado dos gramados.

Paralelamente a estas especulações, Figger nada comenta a respeito do futuro do jogador. Esteve na Europa e apenas passou a Márcio que havia algumas possibilidades. Quando o empresário retornar do México, deverá se reunir com o presidente Enio Ribeiro Almeida para definir a situação do artilheiro, cuja transferência estaria estimada em U$ 3,5 milhões (aproximadamente R$ 13 milhões). Não está descartada a possibilidade de que Juan Figger faça proposta para adquirir os 50% dos direitos do atleta que ainda pertencem ao Paraná. O clube não faz restrições neste sentido, pois o que interessa ao Tricolor, no momento, é garantir o equilíbrio financeiro com a venda de um de seus valores.