O momento para o paranaense Fernandinho, do Manchester City, da Inglaterra, não poderia ser melhor. Convocado pelo técnico Luiz Felipe Scolari para defender a seleção na Copa do Mundo e prestes a conquistar o título do Campeonato Inglês.

Na Inglaterra, o time de Fernandinho abriu dois pontos de vantagem para o Liverpool e está a um do título, que será disputado amanhã. Apesar da importância do jogo, o volante ainda vive dias de euforia com a convocação da última quarta-feira.

“Era um momento que eu esperava há muito tempo, poder participar desta Copa do Mundo no Brasil. Todo o trabalho que eu estou fazendo aqui na Inglaterra no Manchester City é visando essa Copa do Mundo, me preparando para chegar bem. Quando saiu a convocação foi um sentimento de dever cumprido e eu fiquei muito feliz por isso”, disse ele, direto de Londres.

Fernandinho, que está com 29 anos, foi formado nas categorias de base do PSTC, de Londrina. De lá, foi para o Atlético, onde subiu para o profissional em 2002. Segundo o atleta, desde quando ainda sonhava em ser um jogador de futebol, já pensava em poder disputar um mundial com a camisa da seleção. “Tinha esse sonho sim, até porque, um ano antes, em 2002, quando eu ainda estava em Londrina, outro jogador atleticano tinha acabado de ser campeão do mundo, que foi o Kléberson. Então isso me motivou bastante e me deu muita vontade para ter uma carreira de sucesso e conquistar o objetivo que ele conquistou, que foi ganhar uma Copa do Mundo. Em toda a minha carreira desde que eu comecei a jogar no Atlético eu tinha esse objetivo”, lembrou Fernandinho.

O paranaense teve a primeira oportunidade com a amarelinha em 2011, quando foi convocado por Mano Menezes para um amistoso contra a Alemanha. No total, o atleta esteve presente em seis jogos pelo Brasil, porém não tinha tido oportunidade com o técnico Felipão. Por isso, aguardava pelo menos uma oportunidade para mostrar seu trabalho. E ela veio justamente no último amistoso do período de preparação.

“Meu objetivo era participar destes jogos para poder mostrar que eu teria condições de fazer parte do grupo, acabei tendo a oportunidade só no último jogo, contra a África do Sul, há dois meses. Tive a felicidade de jogar os noventa minutos e mostrar o meu trabalho ao Felipão e ao Brasil. Foi mais feliz porque fiz o gol e acredito que ele pode ter aberto as portas para eu disputar esse mundial” contou Fernandinho.