Campeão da Série B, o Palmeiras ainda não pôde comemorar a conquista com a taça na mão. Isso deve acontecer no próximo sábado, quando a CBF vai entregar o troféu após a disputa do jogo contra o Ceará. O fato de a diretoria palmeirense ter mandado a partida para longe de São Paulo, no Estádio Morenão, em Campo Grande (MS), não agradou ao goleiro Fernando Prass.

“É uma pena que a gente vai receber o troféu longe de casa. É bom que vai ser uma torcida que dificilmente tem a oportunidade de ver o Palmeiras, mas a torcida de São Paulo acaba sendo prejudicada por isso”, lamentou o goleiro, titular palmeirense na vitoriosa campanha na Série B – o título foi assegurado no último sábado, com a vitória sobre o Boa no Pacaembu.

O Palmeiras poderia jogar novamente no Pacaembu no sábado, mas diretoria resolveu mandar o duelo para Campo Grande esperando, mais do que dinheiro (receberá R$ 400 mil), uma festa maior do que teria se o jogo fosse em São Paulo. Na verdade, existia a preocupação que, após a partida contra o Boa, a torcida não comemorasse o título, justamente o contrário do que aconteceu.

“Claro que não foi uma festa como se fosse um grande título, mas a reação da torcida nos surpreendeu um pouco positivamente. Mostra que eles viram o nosso esforço”, revelou o volante Márcio Araújo, ao comentar sobre a comemoração dos torcedores que foram no último sábado ao Pacaembu e viram o time assegurar a conquista antecipada da Série B com a vitória sobre o Boa.

Depois da partida de sábado em Campo Grande, o Palmeiras se despede da Série B e da temporada no dia 30 de novembro, quando enfrenta a Chapecoense, em Chapecó (SC), pela última rodada. Como agora o campeonato é só para cumprir tabela, o técnico Gilson Kleina deu folga de três dias ao elenco palmeirense, que só volta aos treinamentos na quarta-feira.