A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) informou nesta terça-feira que renovou contrato com o técnico Fernando Santos para comandar a seleção do país até a Eurocopa de 2020, quando também termina o mandato do presidente da entidade, Fernando Gomes.

O treinador chamou a atenção de diversos clubes após levar a seleção portuguesa à conquista inédita da competição continental, encerrada no último dia 10, na França. O Beijing Guoan, da China, clube onde atuam os brasileiros Ralf e Renato Augusto, teria oferecido um contrato de dois anos no valor de 8 milhões de euros (cerca de R$ 29 milhões), quatro vezes mais do que ele recebia na seleção portuguesa antes da renovação.

Fernando Santos concederá uma entrevista coletiva na próxima quinta-feira para comentar sobre o novo contrato e falar sobre as expectativas, como por exemplo, garantir a vaga portuguesa na Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

No comando da seleção portuguesa desde 2014, Fernando Santos começou a carreira de treinador em 1987 com o Estoril, onde permaneceu por sete anos. Depois passou por Estrela Amadora e Porto, para em seguida, em 2001, deixar o seu país pela primeira vez para trabalhar no futebol grego.

Trabalhou no AEK Atenas e Panathinaikos entre 2001 e 2003. Retornou para Portugal, onde treinou o Sporting por uma temporada, quando recebeu novo convite do AEK. Em 2006 e 2007 dirigiu o Benfica e voltou mais uma vez para a Grécia. Trabalhou no PAOK entre 2007 e 2010 e recebeu o convite para treinar a seleção grega entre 2010 e 2014. Após a Copa no Brasil, foi convidado para substituir Paulo Bento, hoje técnico do Cruzeiro, no comando da seleção portuguesa.