São Paulo – A Ferrari formalizou ontem a liberação de Rubens Barrichello e a imediata contratação, para seu lugar, de outro brasileiro, Felipe Massa. Rubens ainda tinha um ano de contrato com o time italiano, mas foi dispensado. Aos 33 anos, seguirá, na próxima temporada, para a BAR. O anúncio oficial ainda não foi feito.

Felipe, 24, tem vínculo com a Ferrari desde o final de 2001, quando o time recebeu uma indicação de Adriano Morini, dono da equipe Draco, que disputava o Campeonato Europeu de F-3000. O piloto conquistou aquele título e Jean Todt não perdeu tempo, assinando com ele um contrato de longa duração.

O dirigente, então, pediu à Sauber, equipe-satélite da Ferrari, que testasse o menino. Em poucos treinos, Massa impressionou e no ano seguinte era titular do time suíço. Mas não foi bem, e Peter Sauber o devolveu

no fim da temporada, alegando que Felipe era imaturo e inexperiente.

Todt o recebeu de volta e o colocou como piloto de testes da Ferrari em 2003. ?Foi um ano de grande aprendizado?, disse Massa. Em 2004, ele estava de volta à Sauber, equipe que ainda defende. No ano que vem, o time não terá mais nenhuma relação com a Ferrari, já que foi vendida à BMW.

Rubens, por sua vez, deixa Maranello sem grandes momentos de alegria para recordar, exceto a primeira vitória na F-1, em 2000, no GP da Alemanha. No mais, seus seis anos de Ferrari foram recheados de polêmicas e queixumes, num eterno estado de comparação com Michael Schumacher.

O relacionamento com o time italiano nunca foi dos mais tranqüilos e teve passagens marcantes, como a marmelada de 2002 na Áustria, onde foi obrigado pela equipe a deixar o alemão vencer, no mesmo lugar onde um ano antes teve de entregar a ele o segundo lugar.

Mas o estopim aconteceu em Mônaco, neste ano.

Na última volta da corrida, Schumacher o ultrapassou para ganhar o sétimo lugar. Rubens ficou fulo e saiu do carro xingando. Disse, depois, que não trataria mais Michael como companheiro de equipe. Bye bye.

Na semana passada, Barrichello assinou com a BAR. A notícia vazou e explodiu em Budapeste, durante o GP da Hungria.

Ao mesmo tempo, ficou claro que Massa era o eleito para seu lugar.

A assessoria de imprensa da Ferrari comunicou a saída de Barrichello em uma nota curta, dizendo que o brasileiro foi muito importante nas conquistas de cinco títulos mundiais de Construtores desde 2000.

E informou que Rubens não daria entrevistas. Massa, em seu site oficial, se disse ?feliz e orgulhoso? com sua mudança de endereço. Ele deverá começar a testar o carro da equipe ainda neste ano.