O presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, afirmou nesta terça-feira que espera uma reação da escuderia italiana no Grande Prêmio da Malásia, no próximo domingo, para apagar a imagem ruim deixada no GP da Austrália. “Em um circuito menos estranho do que o de Melbourne, como o da Malásia, espero ver os verdadeiros valores em campo”, disse o dirigente.

Os pilotos Felipe Massa e Kimi Raikkonen abandonaram a corrida em Melbourne e a escuderia deixou de pontuar na abertura do Mundial pela primeira vez desde 1992. “Acredito que o primeiro GP tenha sido muito pior do que esperávamos”, admitiu Montezemolo, que tentou mesmo assim explicar o péssimo momento da Ferrari.

“Não há dúvidas de que nos estamos pagando por um campeonato, o de 2008, que terminou na última curva do último giro do último GP”, ressaltou. “Nós, com a McLaren, tivemos que desenvolver o carro até o fim, enquanto os outros há muitos meses puderam trabalhar em um projeto completamente novo”, disse Montezemolo.

O presidente da Ferrari lembrou que “o carro deste ano não é uma evolução. Por isso mesmo, quem teve mais tempo poderá extrair maiores vantagens”. Montezemolo afirmou acreditar que foram cometidos “erros demais na Austrália” e disse que “está convencido, aliás certíssimo, de que vai haver uma forte reação mesmo se os carros forem os mesmos”.

O presidente da Ferrari disse ainda que tem “grandíssima confiança nos homens da Ferrari” e garantiu que “na Malásia vão ser vistos os resultados” do trabalho da escuderia italiana.