São Paulo (AE) – A história não é nova: a Ferrari não realiza uma boa pré-temporada. Isso quer dizer que Michael Schumacher e Rubens Barrichello podem ter um início de campeonato difícil? A estréia do novo carro irá ocorrer, em princípio, apenas na quinta etapa do mundial, dia 8 de maio, na Espanha. Segundo Schumacher, "as quatro primeiras provas serão um desafio e tanto".

Já Rubens Barrichello afirmou, sexta-feira, em Valência, "não acho que estamos em má forma". Tradicionalmente a equipe italiana não confronta seus novos carros com o da concorrência, como vem acontecendo este ano, nos treinos de Barcelona, Jerez de la Frontera e Valência.

A mudança no regulamento dos pneus, que impõe, agora, que os pilotos se classifiquem e disputem a corrida com apenas um jogo de pneus, levou a direção da Ferrari e da Bridgestone, sua fornecedora de pneus, a ter de verificar o estágio de desenvolvimento de seus pneus em relação ao dos adversários, Williams, BAR, McLaren, Renault, que competem com Michelin.

Semana passada a Ferrari testou em Valência com a F2004M. Apesar de os tempos não serem muito representativos, não deixam de revelar alguns dados também. Quarta, Rubinho foi o décimo (1min11s372), diante de 1min09s986 de Fernando Alonso com o novo Renault R25, o mais rápido dentre os modelos 2005. No dia seguinte, Rubinho fez 1min11s137, o 10.º, contra 1min09s005 de Kimi Raikkonen com a nova McLaren MP4/20, recorde do circuito Ricardo Tormo.

A Fórmula 1 já assistiu a esse filme: a Ferrari não iniciar tão bem sua preparação, mas depois dominar a disputa. Desta vez, porém, os esforços da equipe italiana, ao menos até a estréia do seu novo carro, terão de ser ainda maiores para ele se repetir.