O diretor de provas da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Charlie Whiting, afirmou nesta quinta-feira que a ultrapassagem do alemão Sebastian Vettel (Red Bull) em cima do francês Jean-Éric Vergne (Toro Rosso) no Grande Prêmio do Brasil, foi legal e já analisada durante a prova.

O tricampeão do mundo foi acusado de fazer a manobra durante uma bandeira amarela. “Vettel fez tudo de forma correta. Ele reagiu a uma bandeira verde que estava 350 metros a frente do último sinal amarelo”, explicou o Whiting, em entrevista do site da revista alemã “Sport Bild”.

“Nunca tivemos dúvidas que a ultrapassagem foi legal”, comentou diretor de provas. Whiting ainda completou que a bandeira verde anula o sinal amarelo anterior, que proíbe qualquer ultrapassagem.

O representante da FIA ainda revelou que nenhum dos pilotos que estavam atrás de Vettel apresentaram queixa durante a prova, o que é normal em caso de violação das regras. “Não fez nada errado. Havia sinais e bandeiras contraditórias, isso foi analisado durante a corrida, com o resultado que não deve haver punição alguma”.

 

Para concluir, Whiting descartou qualquer mudança com relação ao campeão da temporada. “O título de Vettel não está em perigo. Não haverá investigações a posteriori”.

 

Desde anteontem, parte da imprensa espanhola reclama de uma suposta manobra ilegal de Vettel, que teria ultrapassado em bandeira amarela, o que poderia render-lhe uma punição e fazer com que o título mundial da temporada ficasse com o piloto do país Fernando Alonso, da Ferrari.

O alemão terminou o GP do Brasil, disputado no último domingo em Interlagos, na sexta colocação, o suficiente para garantir o tricampeonato mundial da categoria. Fernando Alonso foi o segundo, terminando três pontos atrás de Vettel.