Com ventos fortes e muita correnteza, as paulistas Isabel Ficker e Laura Zanni (Bingo Augusta), começaram ontem, domingo, os treinos na raia do St. Francis Yatcht Club, onde pretendem conquistar o título de campeãs mundiais da classe 470, competição que vai de 20 a 29 de agosto, em São Francisco, (EUA). A dupla embarcou no sábado e tem apenas mais cinco dias para adaptar-se ao local da prova e conhecer as duplas adversárias. "As americanas são muito boas e já estão acostumadas a velejar nessa raia, o que deve dificultar nosso trabalho", comenta Laura.

Para melhorar o desempenho, Isabel e Laura se submeteram a um rigoroso regime de engorda acompanhado de um nutricionista. Isabel subiu 3 ponteiros na balança, como era esperado, já Laura Zanni, que precisava engordar 7 quilos, aumentou apenas 4. "Parece que falta pouco, mas com vento forte precisamos de mais peso para estabilizar o barco", explica Laura.

Há mais de seis meses treinando em Ilhabela, Santos e São Paulo, elas quase ficaram de fora da competição. As companhias aéreas cobraram cerca de seis mil dólares para levar o barco até os Estados Unidos. "Um valor impraticável, é quase metade do valor de um barco novo", conta Zanni. Outra possibilidade seria alugar um barco, mas, não havia até a semana passada, nenhum 470 disponível "Quase desistimos, mas na última hora, a apenas uma semana do início do mundial, conseguimos", conta Laura. Na segunda-feira, elas receberam a notícia de que o grego Andréas Kosmatopoulus havia desistido do campeonato e estava disposto a alugar o barco para as brasileiras "Quase não acreditamos, esse é realmente o melhor presente de grego que alguém poderia receber", brinca Laura.