Não foi desta vez que a Fifa chegou a uma definição sobre a data para a realização da Copa do Mundo de 2022, no Catar. Nesta sexta-feira, após dois dias de reuniões na sede da entidade, em Zurique, o presidente Joseph Blatter veio a público e adiou a decisão, que só deverá acontecer entre 2014 e 2015.

O Comitê Executivo da Fifa se reuniu nos últimos dois dias com os organizadores do Mundial de 2022 para tentar chegar a uma solução sobre a data para a competição. Se for realizada no meio do ano, como acontece tradicionalmente, a Copa do Mundo acontecerá durante o rigoroso verão do Catar, o que fez com que fosse levantada a possibilidade de adiantá-la para o início do ano.

Blatter avisou que a definição dependerá de “uma consulta muito profunda” que a Fifa fará com líderes do futebol, patrocinadores e redes de televisão. A intenção é aliar o interesse de todos. Mas essas conversas só serão iniciadas após a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, o que deve fazer com que só se chegue a um veredicto em 2015.

O presidente da Fifa também se posicionou em relação aos protestos ocorridos na última quinta-feira, quando cerca de 100 manifestantes foram à sede da entidade cobrar melhores condições de trabalho no Catar. Segundo uma reportagem da última semana do jornal inglês The Guardian, o Comitê Organizador da Copa de 2022 estaria utilizando trabalho escravo nas obras.

Ainda segundo a publicação, imigrantes do Nepal estão sendo trazidos sob condições precárias e, inclusive, 44 operários nepaleses teriam morrido em Doha entre 4 de junho e 8 de agosto. Os manifestantes pediam que a Copa fosse retirada do Catar enquanto não houvesse melhores condições de trabalho. Blatter prometeu investigar o caso, mas descartou a realização do Mundial em outro país.

“A Fifa não pode interferir nas leis trabalhistas de nenhum país, mas também não pode ignorá-las. Quero expressar todo meu sentimento e pesar por tudo que acontece em qualquer país onde há mortes em construções locais, especialmente quando relacionadas à Copa do Mundo”, comentou. “Mas a Copa será disputada no Catar”, completou.