A Federação de Futebol da Bósnia-Herzegovina (FFBH) foi oficialmente suspensa pela Fifa e pela Uefa, nesta sexta-feira, três dias depois de ter rejeitado o pedido feito pelas entidades de reduzir o número de seus presidentes de três para um.

Em nota publicada em seu site oficial, assinada em conjunto com a entidade que controla o futebol europeu, a Fifa anunciou que “a decisão foi necessária porque a Assembleia Geral da FFBH não adotou estatutos que estivessem de acordo com os requisitos das entidades que regem o futebol mundial e europeu”.

O órgão lembrou que os Comitês Executivos da Uefa e da Fifa “solicitaram, respectivamente, que a FFBH adotasse estatutos que atendessem aos requisitos mínimos de ambas as entidades antes do dia 31 de março de 2011” e enfatizou que os dirigentes da Bósnia-Herzegovina foram alertados de que, caso o pedido não fosse atendido, “a federação seria automaticamente suspensa”.

A Fifa esclareceu que a “FFBH perdeu todos os seus direitos como afiliada com efeito imediato e até segunda ordem” e com isso está proibida de disputar competições internacionais a partir desta sexta-feira “até que a questão já mencionada seja resolvida”. A entidade ainda ressaltou que “isso também significa que, a partir da mesma data, nenhum árbitro ou assistente nem os representantes ligados à FFBH podem participar de um evento ou jogo internacional”.

Na mesma nota oficial, a Fifa e a Uefa garantiram que “lamentam profundamente que tenha sido preciso tomar esta decisão”, acrescentando que “ambas as entidades se reunirão em breve para discutirem os próximos passos necessários para tentar trazer a FFBH de volta à família do futebol o quanto antes”.

A suspensão da Bósnia-Herzegovina reflete a atual situação política do país e sua divisão étnica após a guerra ocorrida entre 1992 e 1995, fato que provocou a criação de duas associações de futebol, compostas por um bósnio, um croata e um sérvio.

A Fifa e a Uefa toleraram nos últimos anos a existência de três presidentes para o futebol da Bósnia-Herzegovina por causa dos problemas políticos do país. Porém, em outubro do ano passado, as entidades disseram que o período de transição da nação já passou e que se, o país não se adaptasse até o final de março, ele seria suspenso, fato que acabou se confirmando nesta sexta-feira.

Com a punição anunciada, a seleção da Bósnia-Herzegovina passa a não ter mais chances de disputar a Eurocopa de 2012. O país figura hoje no quarto lugar do Grupo D das Eliminatórias da competição, na qual voltaria a campo no próximo dia 3 de junho, contra a Romênia, fora de casa.