A Fifa avisou que quer um relatório completo da Federação de Futebol da Costa do Marfim para saber o que ocasionou a morte de 22 torcedores, num incidente ocorrido na cidade de Abidjian, capital do país, antes da partida contra o Malauí, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010.

O tumulto ocorreu cerca de 40 minutos antes de partida, quando os organizadores resolveram abrir os portões do estádio, que já estava lotado. O jogo foi realizado mesmo assim, e terminou com vitória por 5 a 0 da seleção anfitriã. Nesta segunda, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, enviou uma mensagem de condolências às vítimas, e alertou sobre a necessidade de uma investigação aprofundada.

Também nesta segunda, parentes das vítimas voltaram aos arredores do estádio para deixar documentos ao lado dos corpos dos torcedores mortos que ainda não haviam sido identificados. Enquanto isso, o presidente do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2010, Danny Jordaan, disse que não há riscos de que tais incidentes possam ocorrer durante a principal competição do futebol mundial.

“Os torcedores sem ingresso serão parados a quilômetros de distância dos estádios”, disse Jordaan. Na Costa do Marfim, uma das causas do problema foi o excesso de torcedores que chegaram ser ingressos aos portões do estádio, o que provocou a queda de um portão e uma correria que deixou mais de 100 feridos, além dos 22 mortos.