Começou ontem a etapa final da primeira fase de vistorias com participação de representante da Fifa nos possíveis campos de treinamento paranaenses para a Copa do Mundo 2014 no Paraná. Uma lista de 14 locais apresentada pela comissão organizadora estadual foi pré-selecionada para receber seleções antes do torneio.

O engenheiro João Caetano, integrante do Comitê Organizador Local brasileiro (COL) designado pela Fifa, primeiro visitou Cascavel, onde esteve acompanhado do secretário de governo para assuntos da Copa 2014, Mário Celso Cunha, e demais representantes da comissão paranaense.

Foram verificadas as condições do Estádio Olímpico Regional, atualmente interditado pela Federação Paranaense de Futebol, e a estrutura da Faculdade Assis Gurgacz (FAG).

Na sequência a equipe partiu para Foz do Iguaçu, onde foram analisadas as estruturas do campo de futebol do Parque Tecnológico da Itaipu e do Estádio ABC. Hoje serão avaliados o Estádio Waldomiro Wagner, em Paranavaí, e o Willie Davids, em Maringá.

O encerramento das vistorias ocorre amanhã, em Londrina, no CT SM Sports, do PSTC e no Estádio do Café. Anteriormente, o Comitê Organizador Local já vistoriou os locais pré-indicados de Curitiba, São José dos Pinhais, Ponta Grossa e Paranaguá.

De acordo com o secretário de governo para assuntos da Copa, Mário Celso Cunha, o resultado das visitas será mantido em sigilo até avaliação da Fifa. Ainda assim, se mantém uma boa expectativa.

“De um total de 145 pré-selecionados em todo país, vão diminuir para 90. Somos (Paraná) o segundo em indicações, perdendo apenas para São Paulo. Nosso objetivo é que incluir o maior número de CTs e estádios nessa segunda lista.”

Sem seleção

Curitiba não vai receber jogos da Seleção Brasileira na Copa 2014. A informação foi publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, ressaltando que, por determinação da Fifa, a equipe canarinho irá jogar apenas em estádios com capacidade acima de 60 mil pessoas.

Apenas Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Belo Horizonte seriam as cidades pré-selecionadas. A notícia foi vista com naturalidade pelo secretário de governo para assuntos da Copa, Mário Celso Cunha. “Já era previsto isso. Era natural que acontecesse.”