Em uma reunião, realizada na tarde de hoje em um hotel, no Centro de Curitiba, Mario Celso Keinert, filho de Petraglia, e o ex-diretor de marketing do Atlético, Mauro Holzmann, rebateram acusações feitas recentemente pelo presidente do Atlético, Marcos Malucelli, de que o ex-mandatário do Furacão teria utilizado o clube para favorecer seu filho, Holzmann, dentre outros.

Mario Celso Keinert diz que em relação as placas publicitárias da Timemania, a Caixa Econômica Federal solicitou a Mauro Holzmann que fosse feito um programa para todos os estádios do País e não apenas para o Atlético. Filho de Petraglia disse que sua empresa, a Kangoo do Brasil, foi contratada dentro da normalidade e que o valor que recebia pelos serviços prestados não era de R$ 33 mil e sim de R$ 12 mil.

Em relação a manutenção e colocação das cadeiras na Arena da Baixada, o empresário relatou que na época em que as cadeiras seriam colocadas foi pesquisado na Europa e nos Estados Unidos para que fosse feito algo de qualidade, mas no Brasil as cadeiras eram feitas de outro material. Keinert relatou que foi o Atlético quem procurou sua empresa porque quis.

O ex-deiretor de marketing relatou que não era remunerado e que o dinheiro que recebia era de contratos que trazia para o Atlético. O presidente Marcos Malucelli se manifestou no dia 26 de fevereiro, em nota no site oficial, dizendo que na coletiva que concedeu não pretendia questionar a legalidade do pagamento da comissão de Holzmann. “Inexiste qualquer dúvida sobre a conduta do profissional citado e inclusive se destaca sua contribuição para o Atlético durante o período em que prestou serviços”, concluiu.

Mais informações na edição deste sábado no jornal Tribuna do Paraná.