Após a derrota na última rodada, o Flamengo ocupou pela primeira vez a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. O desconforto causado pelo revés de 3 a 0 para o Bahia foi evidenciado por declarações do técnico Mano Menezes de que o elenco precisa de reforços. Para o confronto deste domingo com o Atlético-MG, às 16 horas, em Brasília, o time carioca vai, pelo menos, ter um apoio de peso: a torcida que promete mais uma vez lotar o Estádio Mané Garrincha.

Embora o Atlético-MG também tenha sua força no Distrito Federal, a procura pelos bilhetes era majoritariamente feita por flamenguistas, com uma grande venda antecipada de ingressos. “Sem dúvida, isso é um aspecto do qual temos de tirar proveito. O torcedor do Flamengo, por sua paixão, sempre pode fazer a diferença”, disse Mano Menezes.

Ele quer que o Flamengo apresente o mesmo padrão de jogo que vinha demonstrando antes de enfrentar o Bahia. Para o treinador, o time estava crescendo de produção e teve na última rodada um percalço que deve ser esquecido. “Mais importante que a escalação em si é mantermos um padrão e uma filosofia de jogo. Não podemos perder isso, passei essa orientação para os jogadores”, avisou.

Mano Menezes vai ter a volta do volante Cáceres, que não atuava havia três jogos por contusão. A liberação do paraguaio dá ao treinador a possibilidade de reforçar o sistema defensivo, que tem se mostrado vulnerável nos últimos jogos.

Mas Mano Menezes está entre a cruz e a espada. Atacar em busca de uma vitória absolutamente necessária ou se resguardar contra um time que já deve ter abandonado a festa pela conquista da Libertadores e também precisa vencer? Na sexta-feira, o técnico testou formação com três volantes e ainda pondera quem sacar do time nesse cenário. O meia Carlos Eduardo está seriamente na berlinda.