A temporada em 90 minutos. Eis a situação do Flamengo às vésperas do confronto contra o Real Potosí, nesta quarta-feira, às 21h50, no Engenhão, que definirá os rumos do futebol rubro-negro em 2012. Se a vaga para a fase de grupos da Copa Libertadores vier, o ambiente no clube melhora, haverá tranquilidade e tempo para se tomar decisões a respeito da permanência do técnico Vanderlei Luxemburgo. Eliminação e cabeças vão rolar na Gávea, em toda a cúpula do departamento de futebol, a começar pelo treinador.

Derrotado por 2 a 1 no jogo de ida, na semana passada, o Flamengo precisa vencer por 1 a 0 ou maior diferença de gols para entrar na chave 2 da Libertadores, que já tem Lanús (Argentina), Olimpia (Paraguai) e Emelec (Equador). “Todo o planejamento do início do ano foi voltado para este jogo, que vai definir não apenas nosso primeiro semestre como a temporada”, admitiu Luxemburgo.

O tempo nebuloso e de chuva fina do início da atividade desta terça, no Ninho do Urubu, representava bem o clima a pairar sobre o clube. Enquanto os jogadores se divertiam em um rachão, Luxemburgo caminhava a esmo, semblante desanimado e sem energia.

Para a partida de logo mais, Luxemburgo antecipou a entrada de Bottinelli e a manutenção de Luiz Antônio, o que deve significar a saída de Airton do time, na esperança de uma equipe mais ofensiva.

De fato não há outra opção para o clube rubro-negro e para Luxemburgo. A vaga dá poder para o treinador tomar a decisão que melhor lhe caiba, com a possibilidade de sair por cima e deixar o ônus de sua demissão com a diretoria. Do contrário, será mais um fracasso no currículo daquele que já foi o técnico mais laureado do País em um passado não muito distante.