Com garra e muita aplicação, o Fluminense derrotou de virada o Internacional por 2 a 1, nesta quinta-feira, no Engenhão, e se classificou para as quartas de final da Copa Libertadores. Vai enfrentar o Boca Juniors, reeditando dois confrontos da primeira fase. O time carioca teve competência para rapidamente desfazer vantagem parcial do Internacional, que fez 1 a 0 logo no início. Ainda na primeira etapa, o resultado já estava consolidado. Fred marcou o gol da vitória.

Assim que a bola rolou, Oscar e Leandro Damião começaram a envolver a zaga do Fluminense com frequência. A cada lance bem sucedido da dupla, o técnico Abel Braga se desesperava. Pedia atenção na marcação e que seus jogadores não deixassem a bola chegar para Oscar. O primeiro gol já parecia desenhado e previsto pelo treinador do Fluminense. Surgiu de um passe do meia para o atacante. Leandro Damião chutou de fora da área e Diego Cavalieri se esticou em vão.

Com o placar de 1 a 0, o Internacional só perderia a vaga se o Fluminense virasse o jogo. Leandro Euzébio, dois minutos depois, tratou de reanimar os tricolores e, de cabeça, aproveitou falta bem cobrada por Thiago Neves para empatar. O jogo ainda assim não ficou equilibrado. O Internacional continuava melhor e esteve por marcar em pelo menos duas vezes. Em um desses lances, Tinga tocou por cobertura e deixou Oscar diante do goleiro. A conclusão, porém, foi equivocada.

A torcida do Fluminense nem incentivava mais o time, tamanha a tensão dos milhares de torcedores que foram ao Engenhão, quando houve outra falta a favor da equipe. Thiago Neves mais uma vez se posicionou para fazer a cobrança. Novamente, foi competente e lançou a bola na medida para Fred, também de cabeça, virar o placar. Fim do primeiro tempo e a torcida tricolor acordou, com cânticos tradicionais.

O Internacional voltou do intervalo com mais disposição ainda e o Fluminense recuou perigosamente. Fred saiu de campo com dores musculares e deu a vez a Rafael Moura. Abel Braga continuava gritando e gesticulando muito com o time. Do outro lado, Dorival Júnior via o tempo passar e tentava mudar o rumo da partida. Levou a campo no decorrer do segundo tempo três jogadores de ataque – Jajá, Dagoberto e Jô. Mas a defesa do Fluminense atuava com segurança e as chances eram escassas – isso para ambos os lados.

Nos últimos minutos, o time gaúcho foi todo para a frente, mas sem organização e o Fluminense conseguiu segurar o ímpeto do adversário. Classificou-se com mérito e agora se volta para a segunda partida da final do Campeonato Carioca, neste domingo, contra o Botafogo. No primeiro confronto, venceu por 4 a 1. Ao Internacional resta tentar o título estadual contra o Caxias, no Beira-Rio. Na primeira partida, houve empate por 1 a 1, em Caxias do Sul.

“LA U” AVANÇA – Em uma disputa que parecia estar tranquila para o Deportivo Quito, que havia goleado em casa por 4 a 1, a Universidad de Chile usou a força de seu estádio e de sua torcida, em Santiago, e reverteu a situação com uma goleada por 6 a 0. A atual campeã da Copa Sul-Americana enfrenta agora o Libertad, do Paraguai, que passou pelo Cruz Azul, do México.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 2 x 1 INTERNACIONAL

FLUMINENSE – Diego Cavalieri; Bruno, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean, Deco (Valencia) e Thiago Neves; Rafael Sóbis (Marco Júnior) e Fred (Rafael Moura). Técnico: Abel Braga.

INTERNACIONAL – Muriel; Nei, Rodrigo Moledo, Índio e Fabrício; Sandro Silva, Guiñazu (Dagoberto), Tinga (Jô), Dátolo (Jajá) e Oscar; Leandro Damião. Técnico: Dorival Junior.

GOLS – Leandro Damião, aos 13, Leandro Euzébio, aos 15, e Fred, aos 45 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS – Bruno e Jean (Fluminense); Rodrigo Moledo e Índio (Internacional).

ÁRBITRO – Wilson Seneme (Fifa/SP).

RENDA – R$ 1.080,315,00.

PÚBLICO – 29.430 pagantes.

LOCAL – Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão), no Rio de Janeiro (RJ).