Num clássico movimentado, com muito trabalho para os goleiros, Vasco e Fluminense não passaram de um empate, em 1 a 1, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. O bom público presente ao estádio – mais de 50 mil pessoas – acabou premiado com as atuações individuais de Conca, do Vasco, e de Thiago Neves, do tricolor.

"Temos que vencer também no Maracanã e não apenas em São Januário", lamentou o zagueiro Júlio Santos, um dos melhores do Vasco no confronto com o Fluminense.

No primeiro tempo, a superioridade do Vasco ficou evidente com o maior volume de jogo da equipe. Leandro Amaral atuava bem e cobrou uma falta na trave. O goleiro Fernando Henrique, do Fluminense, fez ótima defesa em chute de Conca, que desviou na zaga.

Até então, ele era aplaudido pelos tricolores.

Mas Fernando Henrique pulou atrasado no bonito chute de Conca, de longe, que abriu o placar. O Vasco, em vantagem, poderia ter definido a partida em mais dois lances antes do intervalo. Faltou pontaria a seus atacantes.

O Fluminense voltou para o segundo tempo com mais disposição. Dependia exclusivamente de Thiago Neves, o único a criar no time. No ataque, Somália continuava uma negação.

Thiago Neves repetiu Leandro Amaral e cobrou uma falta na trave. Dava, ali, o sinal de que a reação do Fluminense estava em curso. Num contra-ataque, o Vasco teve nos pés de Guilherme a possibilidade de ampliar. E o gol foi evitado com grande defesa de Fernando Henrique, perdoado a partir do lance por pelo menos metade dos torcedores do Fluminense no Maracanã.

Para que Conca não ficasse com o título de melhor em campo, Thiago Neves arrancou pela esquerda, driblou Perdigão e Wagner Diniz com estilo e cruzou na medida para o gol de cabeça de Cícero. O empate foi resultado do esforço do Tricolor na segunda etapa.