O Fluminense vai comprar briga com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O clube das Laranjeiras não quer o adiamento da partida contra o Santos previamente marcada para o dia 7 de julho – a CBF remarcou o jogo para o dia 24 de agosto, na Vila Belmiro. A alegação da entidade é que o clube paulista cede muitos jogadores para a seleção principal e sub-20 e não pode ser prejudicado.

A diretoria do clube carioca, que não viu seu time receber o mesmo benefício em outras oportunidades semelhantes, se manifestará junto à CBF, pleiteando a manutenção da partida para o dia anteriormente definido.

“Vou à CBF tentar resolver essa situação. Em 2005 perdemos Arouca e Diego Souza para a seleção sub-20 e fomos prejudicados na primeira partida da final da Copa do Brasil. Perdemos o jogo e depois o título. Três anos depois, chegamos à final da Libertadores e jogamos o Brasileiro simultaneamente com a equipe reserva sem problemas”, argumenta o vice-presidente de futebol Sandro Lima.

Apenas de 2005 em diante, Atlético-PR, São Paulo, Internacional, Grêmio, Cruzeiro e o Fluminense chegaram à final da Libertadores e não tiveram partida alguma adiada pelo Campeonato Brasileiro em função disso. Isso também será levado aos dirigentes da CBF, uma vez que o Santos já recebeu o benefício de dois adiamentos em virtude da disputa da final da Libertadores deste ano contra o Peñarol.

Na quinta-feira, o time de Abel Braga encara o Atlético-PR no Engenhão, às 21 horas. Desfalque certo é Rafael Moura, expulso contra o Avaí. Com Fred na seleção e Rodriguinho e Araújo em recuperação de lesões, o treinador tem como opções Ciro e Matheus Carvalho para o ataque.