A confusão tomou conta do futebol do Paraná. Hoje, às 16h, duas reuniões, em lugares diferentes, estarão definindo os rumos do estadual de 2009. Para piorar, mais um clube decidiu ontem recorrer ao tapetão, para garantir vaga na disputa.

Desta vez, quem resolveu se rebelar foi a Portuguesa. Assim como Operário e Francisco Beltrão, o clube de Londrina quer ficar com a vaga da Adap Galo, que desistiu do campeonato. Penúltima em 2008, a Lusinha foi rebaixada, mas quer voltar no lugar do time de Maringá.

Para o presidente Amarildo Martins, seu clube é o autêntico “herdeiro” da vaga aberta pela desistência da Adap. “O campeonato teve dois rebaixados em 2008: o Real Brasil e a Adap Galo, que desistiu. A Portuguesa permanece”, defende.

Amarildo entende que a Lusinha tem mais legitimidade para reivindicar a vaga do que Operário e Beltrão, respectivamente terceiro e quarto colocados na divisão de acesso. Agora, aguarda uma resposta para definir que rumo tomar.

“Mandei ontem ofícios para a FPF e o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD). Dependendo da resposta, decidiremos o que fazer. Mas iremos brigar até o último momento”, garante.

Indiferente às reclamações, a FPF confirma a realização do estadual com apenas 15 clubes. O entendimento é de que a vaga da Adap foi extinta com a desistência. Hoje, às 16h, a entidade divulga a tabela de jogos do torneio.

Disputa

Ao mesmo tempo em que a FPF estará realizando seu evento, no Tarumã, representantes de quase todos os times estarão reunidos do outro lado de Curitiba.

Na sede do J. Malucelli, no Barigüi, a Futpar, entidade que reúne os clubes profissionais do estado, irá discutir vários detalhes da competição. O principal item da pauta é a renegociação do contrato com uma rede de televisão, para transmissão dos jogos.

O único ausente no encontro da Futpar será o Coritiba, que na semana passada anunciou sua retirada da associação. A justificativa do Coxa foi dar apoio à gestão de Hélio Cury frente a FPF, tornando público um racha que segue sendo negado por todos, mas é cada vez mais difícil de esconder.

O presidente alviverde, Jair Cirino, confirmou ontem que a decisão é irreversível. “O Coritiba está definitivamente fora da Futpar. Os motivos já foram expostos para o presidente da entidade (Joel Malucelli)”, afirma.

Sem uma explicação convincente sobre o que motivou a “deserção” coxa-branca, os boatos proliferam. O último é de que o Paraná Clube poderia acompanhar o Coxa em sua debandada. O presidente tricolor, Aurival Corrêa, não foi localizado pela reportagem para falar sobre o assunto.