O Campeonato Paranaense pode sofrer mais uma reviravolta. Isso mesmo. E desta vez, todos os confrontos da segunda fase podem ser cancelados. Na noita desta terça-feira (11), a Federação Paranaense de Futebol (FPF) enviou um ofício ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), solicitando urgência no caso e que as partidas das quartas de final sejam anuladas para que um novo cruzamento seja feito. O STJD já acatou o pedido e um novo julgamento será realizado, em data ainda indefinida. Porém, até lá o campeonato segue acontecendo normalmente.

Em nota, a entidade alega que o artigo 8º do regulamento do Estadual, que define o chaveamento da segunda fase com os confrontos 1º x 8º, 2º x 7º, 3º x 6º e 4º x 5º, foi descumprido na decisão do STJD ao punir o J. Malucelli com a perda de 16 pontos. Com o Rio Branco entrando como novo oitavo colocado, mas enfrentando o Londrina, quarto, este artigo foi descumprido. Além disso, outras definições do campeonato foram alteradas.

“Considerando que a ascensão do Rio Branco, situado no litoral paranaense, e exclusão de um time da capital (J. Malucelli) altera sobremaneira a distribuição das vagas para a Copa do Brasil, vagas para a Série D do Campeonato Brasileiro e a disputa do Título de Campeão do Interior”, afirma parte da nota.

O ofício da FPF, inclusive, foi um pedido de Paraná Clube e Cascavel, que exigiram perante a entidade que rege o futebol paranaense que o regulamento seja cumprido. A Federação se manifestou depois de um pedido do próprio STJD. O Tribunal pediu um posicionamento formal da FPF após negar, na última sexta-feira (7), liminares a Paraná e Cascavel, que pediam a suspensão da rodada do fim de semana.

Ou seja, se o Tribunal acatar o pedido, todas as partidas das quartas de final estão canceladas, inclusive as classificações de Cianorte e Atlético para a semifinal, com novos confrontos programados, que seriam: Paraná Clube x Rio Branco, Coritiba x Atlético, Cianorte x Cascavel e Londrina x Prudentópolis.

Ofício da FPF enviado ao STJD. Foto: Reprodução
Ofício da FPF enviado ao STJD. Foto: Reprodução