Sem alarde, a Federação Paranaense de Futebol (FPF) convocou para hoje, às 18 horas, uma assembléia extraordinária com os clubes e ligas de todo o Estado. O objetivo é reformar no estatuto da entidade, que não sofre alterações significativas desde 1994.

O presidente da FPF, Hélio Cury, disse ontem ao Paraná-Online que vai propor a limitação em uma reeleição para cada diretoria. Pela normatização atual, o atual chefe pode concorrer quantas vezes quiser o que permite a perpetuação no poder de figuras como Onaireves Moura, que mandou na entidade por 22 anos. “É o cumprimento de uma promessa de campanha”, disse Cury.

Os mandatos continuam sendo de quatro anos, garante o atual presidente. Se a emenda for aprovada, Cury poderia se candidatar nas eleições de 2012 para manter-se na cadeira até abril de 2016, e depois teria que entregar o cargo.

Cury rechaçou a hipótese de prorrogação automática de seu mandato até 2014, como fizeram outras federações e a própria Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em função da organização da Copa do Mundo no Brasil.

A última a aplicar o “golpe branco” foi a Federação do Rio de Janeiro (Ferj), que na última terça-feira aprovou em assembléia a prorrogação do mandato do presidente Rubens Lopes até 2014. “Isso não vai ocorrer”, assegura Cury.

Mais propostas

Outras mudanças a serem propostas pela FPF são o voto secreto para a presidência e a delimitação de quantidade mínima de adeptos para participar da eleição. As mudanças serão confirmadas se aprovadas por maioria simples entre os presentes na assembléia.

Eventos como este normalmente são bastante divulgados pela FPF, mas a assembléia não foi noticiada no site oficial da entidade, a não ser na seção de editais. Dirigentes de clubes reclamaram que só ficaram sabendo da assembléia pela imprensa.

Cury negou que pretendesse manter o encontro na “surdina”. “Publicamos o edital de convocação em jornal diário, como manda o estatuto. Não podemos avisar os clubes um por um”, reagiu o presidente.

Estão convocados 101 clubes profissionais, amadores e ligas do interior paranaense praticamente o mesmo colégio eleitoral que escolheu o presidente, em abril passado.