Na noite de amanhã a Federação Paranaense de Futebol de Salão estará comemorando, com um jantar no Hotel Bourbon, em Curitiba, 50 anos de existência.

Meio século de muito trabalho e grandes conquistas. E para comemorar este feito a entidade salonista do Paraná trouxe a Curitiba a diretoria da Confederação Brasileira de Futebol de Salão, que tem como presidente o dr. Aécio de Borba Vasconcelos, e todos os presidentes das 26 federações regionais.

A FPFS é uma entidade que desfruta de um grande conceito em todo o País, fruto de um trabalho muito sério desenvolvido ao longo desses 50 anos. O futebol de salão paranaense é hoje um dos mais fortes do País, graças ao esforço, pujança e dinamismo dos salonistas do Estado.

Um pouco da história

O futebol de salão chegou ao Paraná, mais especificamente a Curitiba, no ano de 1955, trazido pelas mãos do então radialista, Milton Camargo Amorim. Naquele mesmo ano o jornal Paraná Esportivo promoveu um torneio aberto, o qual contou com a participação de 32 equipes, e que teve como campeão o Terwal.

O sucesso do torneio aberto foi tal que de imediato os praticantes da nova modalidade decidiram fundar a Federação Paranaense de Futebol de Salão. A reunião de fundação da FPFS aconteceu no dia 10 de fevereiro de 1956, no escritório do dr. Edmundo Rodrigues Ferro.

Participaram da reunião de fundação da Federação Paranaense de Futebol de Salão os representantes da Associação Atlética Alvorada, Associação Atlética Jacarezinho, América do Sul Futebol Clube, Associação Atlética Fiorentina, Bandeirantes Futebol Clube, Atlético Irapuan, Clube Atlético Paranaense, Clube Atlético Paranaense Jr., Clube Atlético Pingüim, Clube Atlético Senff, Coritiba Foot-Ball Club, Esporte Clube Água Verde, Esporte Clube Senadinho, Gaviões Solitários, Palestra-Itália e Terwal Esporte Clube.

Nos seus 50 anos de existência, a Federação Paranaense de Futebol de Salão teve 14 presidentes.

O primeiro, eleito no dia da reunião de fundação da entidade, foi Edmundo Rodrigues Ferro que, após cumprir o mandato de dois anos, foi sucedido por Carlos Zephining. Os outros presidentes da entidade salonista foram Evaldo Wachelk, Newton Ravaglio Pedroso, Hamilton de Oliveira Castro, Leomar Rodrigues, Ozires Coleri, Amadeu Geara, Luiz Afonso Alves de Camargo, Walter Xavier, Mário de Barros, Ozires Paquete e Jorge Kudri. O atual presidente é o jornalista Dias Lopes.

De todos aqueles que assumiram a presidência da Federação Paranaense de Futebol de Salão, o que mais tempo exerceu o cargo foi o jornalista Jorge Kudri: 33 anos.

Kudri, um apaixonado pelo futebol de salão, foi o grande responsável pelo desenvolvimento da modalidade no Paraná.

O futebol de salão paranaense pode ser dividido em duas partes: antes e depois de Jorge Kudri.

Jorge Kudri deu ao futebol de salão uma estrutura sólida tanto na parte administrativa quanto técnica. Ele dotou a FPFS, que até o início da década de 70 vivia andando de sala em sala, dependendo do favor dos órgãos públicos, de uma sede própria, ampla e dotada de toda a infra-estrutura, localizada na Rua Marechal Deodoro, 869, no centro da cidade.

Além de dotar a entidade de um patrimônio, Jorge Kudri deu ao futebol de salão paranaense uma dimensão gigantesca. Hoje, sem a menor sombra de dúvida, o futebol de salão é a modalidade esportiva que desperta um grande interesse em todo o território paranaense.

?O interesse dos paranaenses pelo futebol de salão é tal que a média de público nos jogos do Campeonato Paranaense da Divisão Especial é de 2 mil pessoas?, afirma o atual presidente da FPFS, jornalista Dias Lopes.

O interesse dos municípios paranaenses pelo futebol de salão é tanto que a Federação Paranaense de Futebol de Salão teve que criar três divisões: a Especial, também conhecida como Chave Ouro; a Primeira, ou Chave Prata, e a Segunda, a Chave Bronze.

Cada um desses campeonatos reúne 16 equipes. O Campeonato Paranaense da Divisão Especial é o que indica o representante do Estado para a Taça Brasil. A cada ano os dois últimos colocados da ?Ouro? cedem seus lugares para os dois primeiros colocados – campeão e vice – da ?Prata?.

O mesmo acontece com esta competição, cujos dois últimos colocados caem para a ?Bronze?, cedendo seus lugares para os dois primeiros desta divisão.

O futebol de salão paranaense, que se iniciou em Curitiba, concentra hoje a sua grande força técnica no interior. É lá que se encontram as grandes potências do esporte da bola pesada.

Pato Branco, Cascavel, São Lucas/Paranavaí, Associação Copagril/Marechal Cândido Rondon, Umuarama, Toledo, Instituto do Futsal de Guarapuava, Rivel Palotina, Matelândia, Campo Mourão, Ciagym Maringá, Café Cianorte, Paraná Clube e Foz Futsal são as equipes que integram a Divisão Especial do futebol de salão paranaense. Da Chave Prata participam as equipes do Santa Paula/Ponta Grossa, Costa Oeste, União Beltrão, Smel Araucária, Ibiporã Futsal, Assaí Futsal, Quedas do Iguaçu, Carambeí, União da Vitória e Associação Clevelandense. E os integrantes da Chave Bronze são estes: São Mateus do Sul, Imbituva, Pinhais, Capitão Leônidas Marques, Roncador, Cafelândia, Santa Terezinha do Oeste, Reserva, Ivaiporã, Guarapuava, Pato Bragado, Entre Rios do Oeste, Altônia e Assis Chateaubriand.

Além dos campeonatos das divisões Especial, Primeira e Segunda, a Federação Paranaense de Futebol de Salão promove anualmente os campeonatos estaduais de mais sete categorias – mamadeira, fraldinha, pré-mirim, mirim, infantil, infanto-juvenil e juvenil.

Na Grande Curitiba a FPFS também promove os campeonatos de todas as categorias, da mamadeira à adulta, reunindo um número bastante significativo de equipes. Outras duas competições promovidas pela FPFS na Região Metropolitana de Curitiba são o campeonato colegial e o campeonato popular.

?O futebol de salão é a coqueluche dos paranaenses. Em todos os lugares crianças, jovens e adultos praticam o nosso esporte, daí o motivo de termos um número muito grande de equipes inscritas junto à FPFS, 84, e um grande interesse pelas nossas competições, por parte do público?, como afirma o presidente Dias Lopes.