João de Noronha
FPFTV talvez só volte a funcionar em programas de estúdio.

Mergulhada em dívidas e com as fontes de renda prejudicadas, a Federação Paranaense de Futebol (FPF) prepara-se para uma era de austeridade financeira, em contraste com o ?luxo? esbanjado até então. A primeira vítima do corte de gastos simboliza bem a mudança administrativa em relação à gestão anterior: a FPFTV, menina dos olhos do ex-presidente Onaireves Moura.

Dos sete jornalistas que compunham a equipe, cinco foram dispensados esta semana. Por enquanto, a FPFTV abandona as transmissões ao vivo e produzirá apenas programas de estúdio. Um choque drástico para o projeto que havia se tornado a nova obsessão de Moura – salários de funcionários chegaram a atrasar para o custeio das transmissões. ?A FPFTV era deficitária. Com menos gente dá para tocar, porque é um bom negócio?, falou o presidente em exercício da FPF, Aluizio Ferreira, que não descarta reativar as transmissões via internet, desde que haja possibilidade de receita.

A última partida que seria exibida pela web-emissora – Real Brasil x Iraty, pela Copa Paraná – não foi à rede por problemas técnicos.

Inaugurada durante a Divisão de Acesso de 2006, a FPFTV chegou a transmitir quatro jogos por rodada no Estadual-2007 – o que exigia grande estrutura humana material. Mas os anunciantes não eram de grande porte e o número de pacotes vendidos foi mínimo.

A aposta em projetos insustentáveis financeiramente foi uma das marcas da administração Moura – sua maior obra, o Pinheirão, é o exemplo típico. As dívidas se acumularam e hoje a Federação, inadimplente com a Prefeitura, o INSS, a Receita Federal e outros órgãos, tem as receitas penhoradas judicialmente. Erro que o sucessor temporário não pretende repetir. ?É preciso tomar algumas posições?, afirma Aluizio, que, além dos profissionais da FPFTV, autorizou a demissão de uma funcionária do TJD, que era bancada pela Federação. Parte da estrutura da FPFTV será redirecionada para o projeto de informatização da Federação.

Aluizio garantiu ainda que a assembléia entre os cinco vice-presidentes, que escolherão um deles para comandar a Federação até abril de 2008, acontece até a metade da próxima semana.