Frankfurt – Com um recorde de 197 países lutando por 31 vagas na Copa do Mundo da Alemanha de 2006, que será disputada de 9 de junho a 9 de julho, foram sorteadas ontem, em Frankfurt, as chaves das Eliminatórias Européias (13 vagas, mais o país anfitrião), Africanas (5 vagas), Asiáticas (4,5 vagas), da Oceania (0,5 vaga) e da Concacaf (3,5 vagas). O quinto classificado na América do Sul disputa repescagem com o ganhador da Oceania e o quinto país da Ásia luta por uma vaga contra o quarto da Concacaf.

A festa, 917 dias antes do início do mundial, reuniu figuras ilustres, como o brasileiro Pelé, o bispo sul-africano Desmond Tutu, prêmio Nobel da Paz, o hexacampeão mundial de Fórmula 1, o alemão Michael Schumacher, o ex-árbitro italiano Pierluigi Collina e o chefe do comitê organizador da Copa, Franz Beckenbauer.

“Podemos transmitir algo mais que alegria entre amigos, podemos fazer algo pela paz”, afirmou o presidente da Fifa, Joseph Blatter. “Queremos um torneio aberto e tolerante”, ponderou o presidente da Federação Alemã de Futebol, Gerhard Mayer-Vorfelder.

No sorteio entre os europeus, os técnicos de Itália e Inglaterra saíram satisfeitos com os grupos. E a França comemorou cair na chave mais fácil. “Não é muito difícil, embora também seja verdade que poderia ter sido melhor”, disse Giovanni Trapattoni, da Itália. O sueco Sven Goran Eriksson, que dirige a Inglaterra também estava empolgado. “Um grupo interessante, muito interessante.”