Amanhã é o dia D para a França. Para não frustar a maior parte dos especialistas, que apontava a seleção como favorita para a conquista do Mundial o time, que terá a volta do astro Zinedine Zidane, deverá vencer a Dinamarca na próxima madrugada, a partir das 3h30, por pelo menos dois gols de diferença para garantir vaga na oitavas-de-final.

A França, número 1 do ranking da Fifa e atual campeã do mundo, ainda não marcou nenhum gol e tem apenas um ponto no Mundial – até o momento, perdeu para Senegal por 1 a 0 na estréia e empatou por 0 a 0 com o Uruguai. O outro jogo da chave Senegal x Uruguai, será disputado no mesmo horário. O Uruguai tem 1 ponto e Dinamarca e Senegal têm 4.

A explicação para o baixo rendimento da equipe francesa é a ausência, nas duas primeiras partidas, do cérebro da equipe, o jogador do Real Madrid, Zidane. O meia se machucou numa partida amistosa pouco antes da Copa do Mundo. Provavelmente, se a França estivesse numa situação melhor, o atleta seria poupado do jogo de amanhã, mas como a atual campeã mundial não pode se dar a esse luxo, estando bem perto da desclassificação, Zidane, mesmo no sacrifício, está confirmado.

O técnico Roger Lemerre vem sendo criticado, até mesmo pelos jogadores do grupo, pelo sistema cauteloso que vem adotando no Mundial. Christanval, de 23 anos será o substituto de Leboeuf, contundido. Henry, expulso, e Petit, suspenso com dois amarelos, deverão dar lugar, respectivamente, a Makelele e Wiltord.

Pelo lado dinamarquês, a situação é bem mais tranqüila, apesar de o time ainda não ter vaga garantida nas oitavas. O time deve adotar um esquema com cinco jogadores na defesa, portanto, bem mais defensivo que o 4-3-3 utilizado nos últimos jogos.

O técnico da Dinamarca, Morten Olsen, garantiu ontem, no entanto, que sua equipe não jogará para empatar. “Se quisermos nos classificar, não podemos jogar para nos defender por 90 minutos contra uma equipe com a qualidade da França.” O treinador afirmou que Zidane não terá marcação especial.

FRANÇA X DINAMARCA

França: Barthez; Lizarazu, Desailly, Thuram e Christanval; Vieira, Micoud, Zidane e Djorkaeff; Wiltord e Trezeguet. Técnico: Roger Lemerre.

Dinamarca: Sorensen; Henriksen, Laursen, Heintze e Helveg; Tfting, Gravesen, Gronkjaer e Tomasson; Sand e Rommedahl. Técnico: Morten Olsen.

Árbitro: Vitor Melo Pereira (Portugal).

Local: Estádio de Incheon.