Com a ausência do atual campeão, Marílson Gomes dos Santos, que está contundido, o mineiro Franck Caldeira será a principal esperança brasileira de vitória na São Silvestre, no dia 31 de dezembro, em São Paulo. O atleta de 23 anos realiza em Campos do Jordão a fase final de seu treinamento para a competição e só virá para a capital paulista na véspera da corrida.

Franck Caldeira jamais ganhou a São Silvestre, mas seus resultados recentes, especialmente nas provas de 10 quilômetros, são animadores. Este ano, ele ganhou a meia-maratona do Rio, a Bowerman 10k, a 10k Pan-americana, a 10k Unicsul, além de conquistar o bicampeonato da Volta da Pampulha.

Fora do Brasil, foi quarto colocado na Maratona de Milão.

Outro brasileiro que pretende fazer bonito na São Silvestre é João Ferreira de Lima, que ganhou recentemente a Prova Pedestre Sargento Gonzaguinha mesmo sem estar em suas melhores condições físicas – teve de interromper a última fase de treinos por causa de fisgadas na coxa esquerda.

Como é tradição, os principais adversários dos corredores brasileiros serão os quenianos. O atleta com resultados mais expressivos é Mathew Cheboi, campeão da Corrida Integração (Campinas) e da Meia-Maratona da Praia Grande, mas outro queniano que pode chegar ao título é Kenneth Kosgei.

Ele ganhou a Meia-Maratona de Uberlândia e foi segundo colocado na Corrida Integração e na Volta da Pampulha.

Troféu Marco da Paz

São Paulo (SP) – A exemplo do que já aconteceu em 2004 e 2005, a Corrida Internacional de São Silvestre de 2006 premiará os campeões das categorias masculina e feminina da prova com o Troféu Marco da Paz. A homenagem é da Associação Comercial de São Paulo, a ACSP, e foi idealizada por Gaetano Brancati Luigi, assessor especial da presidência da entidade.

Feito em madeira, o troféu é uma representação em escala do Marco da Paz, um monumento inaugurado no Natal de 2000, em São Paulo. Como no original, também no troféu estão presentes a pomba (simbolizando a Anunciação), o sino (a música da paz), o arco (um pontal que deve ser transposto para uma nova vida) e os cinco continentes (símbolo da fraternidade entre os povos). De 2000 para cá, países como México, Argentina e Costa Rica receberam marcos similares.

São Silvestre terá prova feminina muito acirrada

São Paulo – Enquanto na competição masculina da São Silvestre Franck Caldeira surge como favorito quase absoluto, na feminina as opções de título do Brasil são maiores. Duas ex-campeãs da competição, Marizete de Paula Rezende, que venceu em 2002, e Maria Zeferina Baldaia, que ganhou em 2001, estão inscritas para a prova deste ano. As duas terão fortes adversárias, como Lucélia Peres, melhor brasileira na competição do ano passado, Sirlene Pinho e Márcia Narloch.

Lucélia Peres está treinando em Brasília e virá fortalecida pela recente vitória na Volta da Pampulha, prova na qual sagrou-se tricampeã. No ano passado, a atleta terminou a São Silvestre na quarta colocação e espera ter melhor sorte este ano. Assim, começaria sua preparação para os Jogos Pan-americanos do Rio, em 2007, com o moral elevado.

Outra atleta que está em boa fase é Márcia Narloch. A atleta da equipe Mizuno/Caixa ganhou a 10k Pan-americana, no Rio, semana passada. Durante a temporada, ficou em terceiro lugar na Meia-Maratona do Rio, em segundo na Volta da Pampulha e em quinto na Maratona de Berlim. Na São Silvestre, a atleta espera pelo menos chegar ao pódio, como já fez em 2001 e 2003, quando conseguiu a terceira colocação.

Sirlene é uma atleta com atuações consistentes na São Silvestre. No ano passado ficou em sétimo lugar, mas seu melhor resultado foi em 2003, quando chegou em quinto. Mas admite que sua principal preocupação é a maratona dos Jogos Pan-americanos de 2007.

Infra-estrutura

A segurança será garantida por 2.600 homens e mulheres da Polícia Militar, além de 1.350 pessoas do staff e 150 guardas da Guarda Civil Metropolitana. A organização do trânsito ficará sob a responsabilidade de 200 homens da CET e 130 da SPTrans.

A equipe médica contará com 150 profissionais, além de 20 pessoas no trabalho antidoping, e cinco na equipe de assessoria de imprensa. Os números da prova não param aí.

Serão utilizados 3 mil grades para fechar as ruas, 1.500 m lineares de tela, 1.200 cavaletes de trânsito, 200 banheiros químicos, dois quarteirões de arquibancadas, 12 ambulâncias, 25 toneladas de gelo, 432 mil copos de água de 300 ml, 15 mil lanches, medalhas, camisetas, sacolas para os kits e chips para controle do tempo.

A largada do percurso de 15 quilômetros será em frente ao Masp. A elite feminina larga às 15h15 e o masculino às 17 horas.