Por causa do incidente com os torcedores do Fluminense, que teriam o perseguido na última terça-feira porque o jogador estava num bar, o atacante Fred não apareceu para treinar nas Laranjeiras nesta sexta-feira e está fora do jogo de domingo, contra o América-MG, na Arena Jacaré, em Sete Lagoas. Ele já não havia enfrentado o Internacional, na quinta-feira.

Depois da atividade, o vice-presidente de futebol, Sandro Lima, avisou que o jogador foi liberado até domingo, quando se apresenta à seleção brasileira que vai disputar amistoso contra a Alemanha, quarta-feira, em Stuttgart.

Diante da suspeita de que Fred pode se transferir para outro clube – Cruzeiro e Inter estão interessados -, o dirigente avisou que o atacante só sai se alguém pagar a multa rescisória no valor de 15 milhões de euros (cerca de R$ 33 milhões).

Fred marcou para sábado, às 10 horas, coletiva para explicar a confusão. Ele registrou queixa na 13.ª Delegacia de Ipanema, mas o caso foi transferido para a 14.ª DP do Leblon.

Ele identificou dois torcedores que estariam envolvidos no episódio: Piero Martins de Carvalho e Leandro de Carvalho Moraes, o Campinho, que tem passagens na polícia por formação de quadrilha e tentativa de homicídio contra um torcedor do Vasco, em 2002.

Presidente da Young Flu, Campinho já agrediu Diguinho dentro das Laranjeiras em 2009.