Um dia depois de selar a renovação do seu contrato com o Fluminense por mais cinco anos, o atacante Fred deu entrevista coletiva nesta quinta-feira para comentar o novo vínculo. Para reforçar a sua identificação com o clube, ele voltou a manifestar o seu interesse de encerrar a sua carreira atuando pela equipe carioca.

“Não me vejo saindo do Fluminense. Enquanto tiver condições de jogar bola quero ficar no clube. É claro que não posso falar do futuro, mas quero estar nas Laranjeiras até o fim da minha carreira. Posso dizer que sou Fluminense para sempre. Quero deixar bem claro que sou o cara mais feliz do mundo e tenho um ótimo ambiente no clube”, disse Fred, para em seguida revelar que foi procurado por outros times interessados em seu futebol.

“Recebi várias propostas, mas vi o esforço do clube e isso merece ser recompensado. Podemos ver que o Fluminense está bem estruturado e muito bem assessorado. Vários jogadores estão aqui com um tremendo esforço da diretoria. Estão todos felizes até por ver que o Fluminense está no caminho certo”, enfatizou.

Fred ainda mostrou humildade ao dizer que ainda não se considera um ídolo da torcida do Fluminense, apesar de ter marcado 39 gols em 60 jogos pelo time e sido decisivo, no ano passado, para a equipe se livrar de forma heroica do rebaixamento no Campeonato Brasileiro e conquistar o vice-campeonato da Copa Sul-Americana.

“Meu principal objetivo é conquistar títulos pelo Fluminense, como todos os grandes jogadores que temos aqui dentro. Me considero respeitado e querido pelos torcedores, mas ídolo ainda não sou. Tenho que conquistar um grande título para chegar a este posto um dia. Trabalho todos os dias para chegar a este objetivo e sei que o torcedor quer isso”, ressaltou o atacante.

Antes disso, Fred negou que a permanência no Fluminense tenha tido alguma relação com o seu desejo de retornar à seleção brasileira, defendida por ele, como reserva, na Copa do Mundo de 2006. “A seleção para mim não pesou em nada na minha decisão. Ainda me vejo na seleção e quero estar lá. Muitos jogadores do Brasil (que atuam no País) foram chamados, mas infelizmente me lesionei. Vamos viver essa expectativa de poder chegar à seleção brasileira e defender as cores do Brasil. Esperança não falta”, garantiu.