Lucimar do Carmo
Finazzi será o centroavante titular
do Atlético na noite de hoje.

Toda vez que o técnico Geninho pisa no gramado da Arena da Baixada, a torcida vai à loucura e aplaude o profissional até que ele se posicione no banco de reservas. Às 20h30 de hoje não deverá ser diferente e até merecido pelo título de 2001, que ele ajudou a conquistar. Mas, amigos, amigos, negócios à parte. Quando o jogo começar, o Atlético vai buscar os três pontos em cima do Goiás, que podem impulsionar a saída definitiva do bloco que tenta fugir da zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

?O Geninho é um grande treinador, todos sabem disso, levou o Atlético ao título de 2001 e deixou muitos amigos aqui?, apontou o meia Fabrício. O jogador, então recém-chegado do América Mineiro, trabalhou com o treinador no Rubro-Negro em 2002. ?Ele conhece muito de futebol e muito bem o nosso time. Sabe como jogar na Arena e nós teremos que superar isso também, ainda mais com o Goiás, que é um time sempre muito difícil?, destacou.

Para o ala-esquerdo Marcão, independente de ter amigos e conhecidos do outro lado, não vai mudar a forma do Furacão atuar. ?O Rogério Correia e o Geninho conhecem bem a pressão que é jogar na Arena. Temos de impor nosso ritmo para vencê-los?, analisou. Segundo ele, o time precisa da vitória para começar a deixar a zona de perigo da competição. ?Temos jogos difíceis pela frente, mas precisamos continuar vencendo. Se tivéssemos tido esse aproveitamento de pontos, nossa situação no campeonato seria muito melhor?, projetou.

Outro problema enfrentado pelo Rubro-Negro é o aproveitamento do Goiás fora de casa. ?É um jogo muito importante contra o Goiás. Nosso time sabe que fora de casa eles têm tido resultados importantes, mas não podemos pensar de jeito algum em perder em casa. Temos de vencer os dois próximos jogos?, disse o atacante Lima.

Mesmo assim, o retrospecto parece favorecer o time comandado por Antônio Lopes. Nas 20 vezes que as duas equipes se encontraram pelo Brasileirão, o Atlético venceu sete e perdeu cinco. Foram 27 gols marcados contra 23 sofridos. No ano passado, o time de Goiânia sofreu a pior goleada na história da competição em plena Arena, com o Rubro-Negro aplicando 6 a 0 em cima dos goianos.

Aloísio fora de combate por três semanas

Uma lesão na coxa direita tira o atacante Aloísio de circulação pelas próximas três semanas. Assim, ele está fora da partida de hoje do Atlético contra o Goiás e será substituído por Finazzi. Para o lugar de Cocito, suspenso, Marcus Winícius foi o escolhido pelo técnico Antônio Lopes. No restante da equipe rubro-negra, a mesma base que vem jogando será mantida pelo treinador na partida das 20h30, na Arena.

Segundo o médico Daniel Tenius, o exame feito por Aloísio constatou ruptura no músculo posterior da coxa direita. De acordo com ele, serão entre duas e três semanas de tratamento e recuperação do artilheiro. Com isso, o Furacão fica sem seu segundo titular na partida contra os goianos já que Cocito tomou o terceiro amarelo contra o Palmeiras. Os substitutos serão Finazzi e Marcus Winícius.

Ontem, o treinamento aconteceu no gramado da própria Arena. O técnico Antônio Lopes comandou um trabalho tático e falou sobre o confronto contra Geninho. ?O problema no futebol é a parte tática. Lógico que o talento decide também, mas o mais importante é o trabalho tático. Isso que ganha jogo. O futebol é momento, então não adianta ter estado em um clube em alguma época?, disse.

Estaleiro

Além de Aloísio, Dagoberto, Etto e Caetano estão no departamento médico. Enquanto Dagoberto deve voltar hoje aos trabalhos físicos, Etto se recupera de um abcesso no pé direito e Caetano está com uma pubalgia aguda.

Os planos de Petraglia

Depois do desabafo na entrevista coletiva do dia 12 de maio, o presidente do conselho deliberativo do Atlético, Mário Celso Petraglia, voltou a estreitar os laços com a imprensa. Na segunda-feira, reuniu os repórteres de rádio, jornal e televisão para uma conversa informal num hotel do Centro e acabou fazendo algumas revelações importantes sobre o futuro do Rubro-Negro e do futebol brasileiro. A reclamação com o tratamento que a mídia dá ao clube continua, mas o espírito do dirigente dessa vez foi bem diferente.

Acompanhado pelo fiel escudeiro Mauro Holzmann, diretor de marketing do Furacão, Petraglia se mostrou um torcedor típico de futebol. Bem-humorado, reclamou de arbitragens, deu a opinião sobre vários jogadores e corneteou treinadores. Já avisou que vai reconstruir o pombal, enquanto a Arena não for completada, que pode rebaixar o gramado em dois metros para a conclusão do estádio; que vai construir um ginásio para 8 mil pessoas no local onde está o colégio; que o clube passará por uma auditoria para se transformar em empresa e que já pensa em deixar o clube. Tudo ao seu tempo, é claro.

CAMPEONATO BRASILEIRO
17.ª Rodada
Local: Arena da Baixada
Horário: 20h30
Árbitro: Elvécio Zequetto (MS)
Assistentes: Alécio Aparecido Lezzo (MS) e Paulino Mariano Fernandes (MS)
Tempo: A previsão é de tempo bom, sem chances de chuva.
Temperatura: Os termômetros deverão variar entre 13 e 16ºC.

Atlético x Goiás

Atlético
Diego; Danilo, Alan Bahia e Paulo André; Jancarlos, Marcus Winícius, Fabrício, Evandro e Marcão; Lima e Finazzi. Técnico: Antônio Lopes

Goiás
Harley; Rogério Correia, André Dias e André Leone; Paulo Baier, Cléber Gaúcho, Danilo Portugal, Rodrigo Tabata e Jadilson; Souza e Roni. Técnico: Geninho