Não foi em Porto Alegre que o Furacão conseguiu se reabilitar no Brasileirão. No Beira-Rio, o time paranaense foi derrotado por 2 a 1 pelo Internacional e conheceu a sua 13.ª derrota como visitante em 15 jogos. Com o resultado negativo, permanece na zona de rebaixamento.

Porém, ontem, o Atlético demonstrou uma postura mais vibrante e determinação, o que deixa certa dose de esperança de melhora no decorrer dos jogos. A equipe fez um bom 1.º tempo e perdeu fôlego e qualidade na etapa complementar. O próximo desafio será contra o Cruzeiro, no próximo sábado, na Arena da Baixada.

Com o time totalmente remodelado, por causa das inúmeras ausências por contusões e suspensões, o Rubro-Negro não sentiu a pressão inicial no Beira-Rio. Acertou o posicionamento, marcou bem e jogou de igual para igual com o Internacional. A missão também foi facilitada pelo adversário que, apesar de ser muito técnico e rápido, abusava das tabelas pelo meio, que eram bem neutralizadas.

O Furacão seguia à risca as determinações de Geninho, de inverter o jogo com rapidez e conseguiu chegar à meta de Lauro em algumas oportunidades, principalmente em chutes de fora da área. Foram duas estocadas de Geílson e Ferreira, em que o goleiro colorado apareceu bem. Zé Antônio também tentou aos 27 minutos.

E a melhor oportunidade paranaense aconteceu aos 35. Alan Bahia invadiu a área adversária, após bom contra-ataque armado por Julio dos Santos, e chutou para fora.

Mas as rápidas tabelinhas do Internacional, que tinha mais posse de bola, começaram a dar resultado e Nilmar a incomodar. Na 1.ª oportunidade que teve, obrigou Galatto a salvar o Atlético. Porém, aos 37, o craque colorado não perdoou. Alex acertou um lindo passe sobre a zaga paranaense e achou o camisa 9, que se antecipou a Galtto e abriu o placar no Beira-Rio: 1 a 0.

Detalhes

Na saída parta o intervalo, Gustavo Lazaretti lamentou a falha do sistema defensivo e as chances desperdiçadas. “O jogo é decidido em detalhes. Agora temos que ir para cima, pois precisamos vencer”, afirmou o zagueiro, que fez sua estréia pelo Atlético neste Brasileirão.

Na etapa final, Tite modificou seu time, reforçando a marcação no meio-campo, onde o Atlético tinha espaço para jogar. Assim, o Rubro-Negro parou de articular e o Colorado tomou conta do jogo. E a situação piorou aos 27 minutos, quando Zé Antônio foi expulso – numa interpretação muito rigorosa do árbitro. Dois minutos depois, Alex avançou pela direita e soltou um petardo, ampliando a vantagem colorada: 2 a 0.

O Atlético descontou aos 33, após uma bobeada do lateral Ângelo. Ferreira aproveitou e chutou cruzado para fazer 2 a 1. Apesar da determinação, o time paranaense não teve forças para buscar o empate e amargou mais uma derrota no campeonato.

Internacional 2 x 1 Atlético

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre

Internacional: Lauro, Ângelo, Bolívar, Danny Morais e Gustavo Nery; Edinho, Andrezinho, Ramon (Sandro no intervalo) e D’Alessandro (Taison aos 35° do 2º); Alex (Daniel Carvalho aos 35° do 2º) e Nilmar.
Técnico: Tite

Atlético: Galatto; Gustavo, Antônio Carlos, Gustavo L. (Anderson Aquino aos 32° do 2º); Zé Antônio, Chico, Alan Bahia, Julio dos Santos e Netinho (Alexsandro aos 33° do 2º); Ferreira e Geílson (Pedro Oldoni aos 20° do 2º).
Técnico: Geninho

Árbitro: Cléber Wellington Abade (SP)
Assistentes: Evandro Luís Silveira (SP) e Fabrício Vilarinho da Silva (GO)

Gols: Nilmar aos 37° do 1º; Alex 29° e Ferreira aos 33 do 2º

Cartões amarelos: Gustavo, Gustavo Lazareti, Alan Bahia, Chico, Alexsandro (A), Edinho, D°Alessandro (I)

Cartão vermelho: Zé Antônio aos 27° do 2º

Público total: 15818

Renda: R$ 225.172,00