Os reforços contratados pelo Atlético na metade do primeiro turno da Série B deram nova cara ao time. Com eles, o Rubro-Negro passou de um aproveitamento de 56% para 70% e tornou-se mais mortal no começo dos jogos. Antes de Marcão e Elias chegarem, e se juntarem a Marcelo e Paulo Baier, a maioria dos gols só saía no segundo tempo.

No primeiro turno, a rede só costumava balançar depois dos 30 minutos finais da partida. No returno, a eficiência passou a ser maior já na etapa inicial, entre 16 e 30 minutos de bola rolando. Na primeira etapa da Série B, o Furacão marcou apenas 4 gols neste período, aumentando para 10 no returno. O atacante Marcelo foi o grande responsável por esta mudança, marcando metade destes gols. Elias fez três e João Paulo e Marcão um cada.

A virada no cronômetro não significa que os minutos finais deixaram de reservar emoções. Entre 30 e 45 minutos da etapa final, os atleticanos marcaram 13 gols nesta Série B. Neste período, a maior eficiência é de Paulo Baier. O experiente jogador tem aproveitado até os últimos instantes para mostrar serviço. Jogador que atua só na segunda etapa, ele balançou as redes quatro vezes nos instantes finais, duas delas depois dos 40 minutos. Marcelo também aparece como elemento surpresa já quase no apito do árbitro, com 3 gols depois dos 30 minutos.

No entanto, o aumento da eficiência em tentar matar o jogo mais cedo tem sido reforçado pelo técnico Ricardo Drubscky nesta semana. A semana de trabalhos no CT do Caju está focada nisso: matar o jogo contra o Paraná o quanto antes. “Estamos falando da importância deste jogo. Da postura para esta semana e também da postura para a partida. Precisamos afinar os ponteiros para que esta caminhada até o jogo seja forte”, afirma Drubscky.