Depois da recusa de Paulo Roberto Falcão, o Atlético voltou à estaca zero na busca pelo novo treinador. Paulo Silas surgiu com cotação alta, mas seu destino deve ser o Avaí, que demitiu Wagner Benazzi.

Para o presidente Marcos Malucelli, está na hora de o Furacão inovar e ir buscar um nome que não ésteja cogitado pelo mercado. “Se dependesse de mim, não traria nenhum desses nomes. Sei que pode pegar mal, mas eu não contrataria. A diretoria de futebol é quem vai decidir. Tem autonomia para decidir isso, com referendo do presidente”, disse Malucelli.

Para o presidente, Leandro Niehues está no mesmo patamar de qualquer treinador que está desempregado no Brasil e, por isso, não há pressa em trazer o novo comandante. “Para ser bem sincero, se achasse que tem grande diferença já teríamos um desses desempregados aqui em Curitiba”, afirmou o presidente.

Malucelli revelou ainda que o argentino Marcelo Bielsa, ex-Seleção do Chile, esteve muito próximo do Furacão, mas desistiu da ideia pelo pouco tempo que teria antes de iniciar a Copa do Brasil.

Quase certo

O volante Robston, do Atlético-GO, pode ser apresentado esta semana no Furacão. A imprensa goiana deu como certa a transferência do jogador, mas a diretoria do Atlético ainda não confirmou oficialmente a informação. A chegada do volante poderia envolver a ida de dois jogadores do Furacão para Goiás.

Preferido

O vice-presidente Ênio Fornea foi colocado pelo presidente Marcos Malucelli, ontem, como preferido para sua sucessão no comando do Furacão – mandato que encerra no final de 2011.

Malucelli destacou que qualquer outro nome teria de haver uma conversa antes, diferente do seu vice que hoje já teria seu apoio. Ênio é homem forte desta gestão e tem participado com Malucelli de todos as decisões importantes do clube.